News

Blockchain pode revolucionar a cadeia de abastecimento agrícola e alimentar

por Equipe Webitcoin

07/08/2017 - 5:18 pm

O Sr. Kimani Mbugua, CEO da Greenspec, uma empresa de Agro-processamento do Quênia afirmou que a tecnologia blockchain tem o potencial de transformar a agricultura.

Durante o lançamento da Belfrics Kenya, banco de negociações de Bitcoin, no sábado, no Quênia, o CEO explicou que, embora tenha poucas conversas sobre a blockchain na agricultura, o setor pode ter ótimos benefícios com a tecnologia.

Kimani Mbugua, declarou:

“A aplicação blockchain tem enorme potencial em três áreas-chaves da agricultura que consistem em gerenciamento de tempo real, cadeia de suprimentos e pagamento móvel e financiamento.

Fornecimento da cadeia alimentar.

Ele observou: Com a cadeia de blocos, você poderá saber do rótulo o que e como os alimentos foram produzidos.

Leia também: Como declarar Bitcoins no Imposto de renda

Ele também criticou o procedimento atual, onde não há meios mais fáceis e precisos para verificar a origem exata das commodities pelos fabricantes e questões como trabalho escravo e poluição.

E adicionou:

“O valor da blockchain aqui é a sua capacidade de tornar a cadeia de suprimentos inteiramente transparente e rica com dados a disposição da fazenda e dos consumidores.

Em última análise, Kimani mantém o atual processo de confiança para fabricantes e consumidores de onde a comida vem e como ela é produzida. Ele foi, portanto, otimista sobre o papel da blockchain na agricultura.

Belfrics in Africa

Dirigindo-se à comunidade bitcoin na função, Praveen Kumar, CEO da Belfrics Global, revelou que a empresa vai abrir trocas de bitcoin em todo o continente africano nos próximos meses. A empresa, com sede na Malásia, mas com trocas de bitcoin na Índia, Cingapura e agora o Quênia entrará no mercado da Nigéria, Gana e Botswana nos próximos meses. Este é um bom momento para a adoção da África, uma vez que o chamado continente escuro carece de infra-estrutura como essa para permitir a compra e venda da criptomoedas.

 

Fonte: Cryptocoinsnews