Atualizado 14:24: Coincheck confirma que saque de NEM foi um ataque perpetrado por hackers.

Uma das maiores casas de câmbio do Japão, a Coincheck, sofreu “o maior furto da história”, segundo Lon Wong. Supostamente, hackers subtraíram 123 milhões de dólares em Ripples, além de 500 milhões de NEM, em um único saque.

Quando os rumores sobre esta retirada começaram a circular, o valor da NEM caiu em 19% nas últimas vinte e quatro horas.

Enquanto a mídia japonesa se posiciona do lado de fora da central da Coincheck, em Tóquio, quem acompanha o caso tenta entender o que aconteceu com a casa de câmbio. O primeiro sinal de que algo estava errado se deu quando os valores acima citados em Ripple e NEM foram sacados. Pouco tempo depois, a casa de câmbio japonesa congelou todos os saques. É possível que a retirada de 123 milhões de dólares tenha sido por parte da própria Ripple, tentando proteger seu ativo.

Leia mais: Japão dá uma lição em regulamentação de criptomoedas.

Embora Lon Wong, presidente da NEM, e os rumores apontem para um ataque perpetrado por hackers, tais informações carecem de confirmação.

Em um comunicado emitido hoje, a Coincheck afirmou:

“Os depósitos de NEM para Coincheck foram restringidos. Depósitos efetuados na sua conta não serão mostrados no seu saldo, e nós aconselhamos que todos os usuários evitem fazer depósitos até que as restrições sejam removidas. Nossas mais sinceras desculpas pela inconveniência que isso causou a todos.”

A principal casa de câmbio japonesa está em processo de lockdown

Após o comunicado exposto acima, a Coincheck anunciou diversas vezes em seu blog que, primeiro, a compra e venda de NEMs estavam paralisadas; em seguida, paralisou a compra de todas as criptomoedas; e, finalmente, estavam paralisados também todos os pagamentos realizados por meio de cartão de crédito e moedas fiat. Caso seja confirmado que o saque de NEMs não foi autorizado, consequentemente seria confirmado que 5% do suprimento desta criptomoeda foi furtado. Falando-se em porcentagem do suprimento total, seria um hack maior do que aquele que assolou a Mt. Gox em 2014, apesar das repercussões do suposto hack na Coincheck serem mais centralizadas.

Tendo em vista que a Coincheck começou a desativar suas operações no início desta sexta-feira, 101 milhões de XRP (estimados em 123 milhões de dólares) foram sacados, seguido de um suposto saque de 600 milhões de NEM. Considerando-se o tweet feito por Wong, é possível que o saque de NEM tenha realmente ocorrido.

Leia mais: Medo faz preço de Ripple aumentar em 32%.

Fundada em 2014, ano em que a Mt. Gox faliu, a Coincheck é uma das maiores casas de câmbio japonesas, intermediando a troca de 631 milhões de dólares em criptomoedas nas últimas 24 horas. Além de facilitar a compra e venda de criptomoedas, a Coincheck encoraja seus clientes a usarem a carteira da empresa para armazenar seus ativos.

Fonte: Bitcoin.com

Edição: Webitcoin