Tecnologia

John Martinis do Google acredita que ainda falta muito para sofrermos ameaças da computação quântica

por Equipe Webitcoin

30/08/2017 - 6:10 pm

Em um recente evento de criptomoedas, o John Martinis do Google abordou as hipotéticas ameaças da computação quântica, afirmando que ainda faltam muitos anos até podermos utilizar essa tecnologia. As ameaças que a computação quântica podem representar às criptomoedas tem sido cada vez mais discutida na comunidade de moedas digitais nos últimos anos.

A ameaça apresentada pela computação quântica pode ser capaz de quebrar a criptomoeda RSA e assinaturas digitais

O John Martinis do Google rejeitou recentemente a noção de que a computação quântica pode representar uma ameaça direta às criptomoedas no futuro próximo. Falando na Universidade da Califórnia, Santa Barbara,no evento Crypto 2017, Martinis diz que acredita que levará pelo menos uma década até que a computação quântica possa ser utilizada, afirmando que a construção de tal é “realmente, muito difícil, muito mais difícil do que construir um computador clássico “.

A ameaça perceptível apresentada pela computação quântica pode ser capaz de quebrar às criptomoedas RSA e assinaturas digitais. “Isso significaria que você poderia forjar transações e roubar moedas”, afirmou Bernardo David, um especialista em criptomoedas do Instituto de Tecnologia de Tóquio. Martin Tomlinson, professor do Centro de Pesquisa de Segurança, Comunicações e Redes da Universidade de Plymouth, articulou sobre a hipotética ameaça que a computação quântica pode representar para o bitcoin em uma entrevista de 2016 ao MSN. “Se você tem um computador quântico, então você pode basicamente calcular a chave privada de uma chave pública … demoraria apenas um minuto ou dois. Dessa forma, você teria acesso a todos os bitcoins disponíveis. ”

Muitos desenvolvedores de criptomoedas estão buscando uma solução para as ameaças apresentadas pela computação quântica

Ao refutar a ameaça, Martinis apontou para uma instabilidade de bits quânticos (qubits) – que são a contrapartida de bits na computação clássica. Martinis descreve o qubits sendo parecido com uma versão tridimensional de bits, que em vez de representar um estrito, binário 1 ou 0 (como é o caso com bits), os qubits podem simultaneamente representar ambos os valores em uma matriz dinâmica de “superposições”. Martinis afirma que é importante que os laborátorios tenham a capacidade de reduzir o número de erros qubit gerados.

Apesar de ainda faltar muito a suposta ameaça representada pela computação quântica, muitos desenvolvedores de criptomoedas estão ativamente buscando resolver isso. QRL, ou Ledger de Quantum Resistant, é um altcoin que foi desenvolvido com a evasão de computação quântica como principal utilidade declarada. O Russian Quantum Center também declarou sua intenção de expandir sua pesquisa em soluções de blockchain a prova de computação quântica. Esses esforços indicam que a comunidade de criptomoedas está levando a sério a ameaça percebida, muito antes da computação quântica se tornar realidade.

 

Fonte: News.Bitcoin