O National Institute of Standards and Techonology (NIST) – uma agência não reguladora do Departamento de Comércio dos Estados Unidos – emitiu uma visão geral sobre as tecnologias que envolvem os blockchains, visando esclarecer suas principais características, suas limitações e os equívocos mais comuns quanto a elas.

O documento é direcionado aos iniciantes em blockchain, especialmente organizações que estejam considerando adotar este tipo de tecnologia, bem como àqueles que tenham interesse em ultrapassar a hype acerca dos mesmos. Os autores ressaltam aos leitores que negócios são geralmente tentados por novas tecnologias, contudo, é necessário entender se blockchain é apropriado para as suas operações antes de pular de cabeça.

“Os integrantes do departamento de TI de uma empresa precisam entender disso e, através deste entendimento claro, discutir se a companhia deve ou não utilizar blockchains,” afirmou Dylan Yaga, cientista da computação e um dos autores do relatório.

O relatório identifica os equívocos mais comuns sobre blockchain, como questões de controle, gestão de identidade e confiança. Yaga também esclarece que, apesar de ser descentralizado e não ser controlado por nenhuma instituição central, os desenvolvedores, criadores e mantenedores do sistema exercem um certo grau de controle sobre o blockchain.

Leia mais: Uma oportunidade para blockchains interoperantes.

Da mesma forma, o blockchain não tem controle sobre as condutas de seus usuários, tendo autoridade apenas para especificações e regras de transação. As pessoas geralmente se enganam ao pensar que blockchain provê meios de atribuir identidades do mundo exterior àqueles que possuem contas privadas.

Os autores também apontam que é um equívoco entender que blockchains são sistemas livres de confiança (já que todos mantêm cópias dos livros contábeis, não sendo necessário confiar na pessoa com a qual você realizou uma transação), afirmando ainda que há, na verdade, muita confiança envolvida nesta tecnologia, já que a cooperação de desenvolvedores e usuários é fundamental para o funcionamento do blockchain.

Quanto às limitações do sistema, o NIST declarou que as imensas quantidades de energia e banda larga necessárias para sustentar um blockchain representam um problema. Ademais, tendo em vista que os próprios usuários devem cuidar de suas contas, perde-la representa um risco maior do que perder um login ou senha nas plataformas centralizadas.

Leia mais: Rede de café Starbucks está animada com a tecnologia blockchain para receber pagamentos.

Fonte: CoinDesk

Edição: Webitcoin