3 pontos-chave que a mídia está esquecendo sobre o Bitcoin

Kiril Nikolaev explica pontos de interesse vital para o BTC que, por vezes, são absolutamente ignorados pela grande mídia financeira

A mídia financeira convencional está se deleitando novamente com a queda recente do Bitcoin. A criptomoeda número um caiu abaixo dos US$ 6.500 nos últimos 30 dias, chegando a ver uma queda de quase 25% em um curto período do tempo. O momento de venda está dando munição para que os principais meios de comunicação “explodam” o BTC em pedacinhos.

Por exemplo, a Forbes foi rápida em capitalizar os últimos infortúnios do Bitcoin. A publicação em questão recebeu mais de 200.000 visualizações com uma manchete gritando que o Bitcoin caiu porque “Você não precisa disso”. O autor do texto argumentou que, para o sucesso do Bitcoin, os bancos centrais, os mercados de ações e o ouro devem falhar. Isso mostra a total falta de compreensão do escritor sobre como a criptomoeda funciona.

Assim, pensei que seria melhor para a mídia mainstream (MSM) aprender mais sobre a o BTC. Aqui estão três pontos-chave que a MSM está perdendo sobre o Bitcoin.

1. Bitcoin é um ativo não correlacionado

Primeiro, o Bitcoin é um ativo que não está correlacionado com outros ativos existentes, como ações e ouro. Há literatura para apoiar esta declaração.

Um relatório da CoinMetrics revelou que o Bitcoin não está correlacionado com o S&P 500. Durante um período de cinco anos, houve trechos em que as duas classes de ativos pareciam correlacionadas, mas não o suficiente para sugerir correlação significativa.

Lembre-se de que um valor de “um” indica correlação perfeita, enquanto um número abaixo de “zero” revela correlação negativa.

Gold and SPXExistem períodos de correlação entre o BTC e o S&P 500 e entre o BTC e o ouro, mas a correlação é baixa e não consistente. | Fonte: CoinMetrics

 

Além disso, ouro e BTC parecem ter uma correlação positiva nos últimos anos. Mas a correlação é baixa e não parece ser significativa.

No geral, o bitcoin parece não estar relacionado ao mercado de ações e ao ouro. Isso significa que, se o mercado de ações falhar ou se o ouro cair repentinamente, o preço do Bitcoin não será afetado.

O mesmo acontece se as ações ou o ouro dispararam. É assim que ativos não correlacionados funcionam. O Bitcoin vai dançar ao seu próprio ritmo, independentemente da performance de outros mercados.

2. Bitcoin não responde às políticas do Banco Central

A grande mídia financeira também acredita que as decisões tomadas pelo Federal Reserve (Fed) têm um impacto sobre as principais criptomoedas. Por exemplo, cortes de taxa e a retomada da compra em larga escala de notas do Tesouro (não QE) são vistos como combustível de foguete para o Bitcoin.

O argumento é que a criptomoeda é uma proteção contra o novo paradigma adotado pelos bancos centrais. E nada poderia estar mais longe da verdade.

Nos últimos meses, o Fed cortou as taxas de juros três vezes. Além disso, o banco central também começou a expandir seu balanço. Nos meses em que o Fed lançou essas novas políticas, o Bitcoin caiu mais de 33%. A queda nos diz que o BTC não é influenciado pelo Fed, pelo menos da maneira pintada pela grande mídia.

The Fed significantly grew its balance sheet in a few monthsO Fed aumentou significativamente seu balanço patrimonial em alguns meses. | Fonte: Federal Reserve

 

3. Liquidação de pagamento do BTC está anos-luz à frente dos métodos tradicionais

Quando a mídia convencional cobre Bitcoin, trata-se principalmente do preço e da volatilidade da criptomoeda. No último mês, notícias sobre a queda das principais criptomoedas inundaram a internet. Pouca atenção foi dada ao impressionante caso de uso do ativo digital.

Por exemplo, em novembro uma baleia transferiu cerca de 44.000 BTC no valor de US $ 310 milhões para outra carteira. A taxa da transação foi de US $ 0,32.

Bitcoin multi-million dollar transfer

Se você usar métodos tradicionais, como a Western Union, para transferir US$ 310 milhões, precisará desembolsar mais de US$ 6 milhões. Esse é o tipo de desenvolvimento que pode ajudar as pessoas a economizar dinheiro, mas os maiores canais de mídia preferem espalhar o FUD sobre as principais criptomoedas.

Texto adaptado de: CCN

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.