410 dias: Mercado de criptomoedas está oficialmente no bear market mais longo de sua história

O período superou o grande mercado de baixa registrado entre 2013 e 2015

De acordo com os gráficos, nas últimas 24 horas o mercado de criptomoedas subiu de US$111 bilhões para US$113 bilhões, recuperação também registrada no Bitcoin, que apresenta o valor de US$3463,15 no momento da escrita.

Outras criptomoedas de grande peso como Ripple e Ethereum registraram ganhos de 3% a 7% em relação ao dólar americano. De acordo com os analistas, o aumento, principalmente na XRP, se deve a boatos de uma possível parceria entre a Ripple e a SWIFT, após o anúncio de uma parceria entre a R3 e a SWIFT.

Segundo o analista Jonny Moe, apesar das valorizações, o mercado de cripto está oficialmente no bear market mais longo de todos os tempos. Em 2013 o setor entrou em um mercado de baixa de 410 dias, período no qual o valor do Bitcoin baixou de cerca de US$1000 para quase US$100.

Agora, o mercado de criptomoedas superou esta marca, demonstrando incapacidade de romper os principais níveis de resistência.

“Quinta-feira marca o mesmo período de tempo que o bear Market de 2013-2015. Estamos com 2% abaixo na mesma profundidade. Espero que esses ciclos se tornem mais longos e menos extremos ao passo que avançamos. Ou seja, o movimento ascendente deve demorar mais e a tendência de baixa deve ser mais longa. A próxima tendência de alta deve ser menos extrema que 2016 e 2017 e mais duradoura”, disse Moe.

Sua análise leva em consideração vários meses de consolidação após as baixas de 2013 a 2015, o que os operadores definem como fase de acumulação.

Geralmente, em especial neste mercado, os principais ativos passam por uma longa correção e posteriormente meses de estabilidade. Nos últimos 3 meses, o Bitcoin registrou contínua liquidação. Embora tenha mostrado certa estabilidade em janeiro, a tendência pode ser quebrada, ao passo que o valor do ativo vai para perto de US$3000.

Um operador de cripto conhecido como Haska sugeriu que é possível que o Bitcoin se recupere e atinja US$3500 e ainda evite o nível de suporte de US$3000. Entretanto, a falta de alavancagem no mercado pode impedir que o ativo se recupere a curto prazo.

Anteriormente alguns analistas, como DonAlt, afirmaram que uma rápida mudança para a faixa de US$2000 a US$3000 para a criptomoeda seria altamente provável, caso esta não se recupere com força na região de US$3000.

“Se o ‘verde’ falhar, espero uma rápida mudança para US$2000”, disse o analista.

A curto prazo, é incerto se o Bitcoin pode manter a mesma faixa que apresenta desde o início de janeiro, ou cairá para um novo nível de suporte. De modo geral, os analistas e traders esperam que este cenário de baixa continue até junho, antes que seja estabelecido um fundo apropriado e o mercado comece a se recuperar.

Um ponto positivo na tendência de crescimento de médio prazo é que as startups acreditam que este “inverno” não foi tão ruim quanto as correções anteriores, embora já seja o pior em termos de duração.

“O dinheiro investido está voltando à norma de difícil obtenção. Eu acredito que o ‘inverno’ ´é muito exagerado. Estamos voltando aos comportamentos normais.”, disse Brayton Williams, cofundador da Boost VC.

Como já foi visto graças a negócios da Fidelity e da Nasdaq, empresas do setor de criptomoedas não estão tendo dificuldades para receber financiamento, o que é bem otimista para a indústria.

No final de 2018 as empresas investiram quase US$30 milhões na ErisX, operadora de mercado de futuros de criptomoedas, em um acordo altamente antecipado.

FONTE: CCN

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli