$530 milhões em jogo! Hackers se unem em busca de criptomoedas roubadas

Hackers do bem

Os hackers “White Hat” (Hackers éticos que são especializados em segurança da informação) têm desempenhado um papel vital nas investigações do infame hack da CoinCheck no mês passado.

Os membros de comunidade têm ajudado a localizar os $538 milhões de dólares em NEM que foi roubado da exchange de Tokyo. Os hackers éticos estão ajudando as autoridades e incentivando outros membros a se unirem para ajudar na busca. Um famoso hacker White Hat, conhecido no Twitter pelo nome de usuário @JK17, conseguiu identificar as contas para as quais o dinheiro roubado foi enviado logo após a invasão. A informação foi compartilhada com a fundação NEM, na qual as encontrou e passou a monitorá-las. Os fundos foram transferidos para cerca de 400 contas, incluindo algumas contas de usuários inocentes, o que parece ser uma tentativa de confundir os rastreadores.

No entanto, segundo informações, um número ainda maior de White Hats se juntou a caça, agilizando ainda mais o processo de busca. Shota Hamabe, um programador com 34 anos de idade, é um dos membros envolvidos na busca. Logo após o cibercrime, ele organizou uma sessão informativa no Hackers Bar, um restaurante e um centro tecnológico no distrito de Roppongi em Tokyo, para coordenar e discutir opções.

Leia mais: Bitcoin se direciona aos US$10000, enquanto mercado segue em recaída

“Esforços infrutíferos”

Apesar de JK17, Hamabe e outros terem sido muito eficazes na localização e na sinalização das contas para as quais o NEM roubado foi transferido, os esforços para identificar os titulares das contas (responsáveis pelo crime) têm sido infrutíferos. De acordo com notícias, um trader do NEM havia sido questionado pela polícia de Tokyo referente ao incidente, entretanto, nenhuma informação adicional com respeito à participação do indivíduo foi divulgada. Além disso, como uma tentativa de identificar os culpados, as autoridades estão analisando os históricos de acesso no sistema da Coincheck, entretanto, isso pode levar muito tempo. No entanto, parece que quase 9 bilhões de ienes (US $83. 6M) em NEM foram negociados por Bitcoin e outras moedas virtuais através da dark web e outros serviços anônimos. Ainda não se sabe se conseguirão encontrar os hackers responsáveis pelo crime.

A exchange está cooperando com as investigações e prometeu compensar plenamente todos os traders que foram afetados pelo hack. A empresa acredita que, por meio disso, salvará sua reputação e imagem pública, entretanto, os usuários têm demonstrado preocupações ainda maiores. Na semana passada, um grupo de traders da Coincheck processaram o serviço, expressando sua insatisfação em virtude do bloqueio da função de saque de criptomoedas não afetadas pelo hack que ainda não havia sido reaberta.

Se os cibercriminosos serão apreendidos ou não, o trabalho dos hackers White Hat serve como um lembrete de que as comunidades de criptomoedas e as próprias criptomoedas podem ser muito positivas. Hamabe disse aos jornalistas:

“O incidente criou uma imagem negativa das moedas virtuais, mas acredito que elas podem fazer uma enorme diferença na forma em que transmitimos dados e lidamos com negócios.”

Fonte: CCN.com

Foto de Andre Cardoso
Foto de Andre Cardoso O autor:

André , ariano, engenheiro, empreendedor, trader de criptos profissional, palestrante e professor. Adora números, gráficos e aprender coisas novas.

andre.cardoso.btc/