A mineração de bitcoin coloca o Texas em estado de alerta

À medida que mais mineradores se conectam à rede do Texas, nem tudo que reluz pode ser ouro digital.

As empresas de mineração de criptomoedas estão migrando para o Texas por causa de suas regulamentações favoráveis ​​aos negócios e eletricidade barata. Mas o aumento no uso de energia com a migração da mineração está levantando questões sobre se a grade ERCOT pode lidar com o boom do bitcoin.

Quando a China começou a retroceder em sua indústria de mineração como parte de sua repressão mais ampla à indústria de criptoativos, o Texas estava ocupado pegando sua própria fatia do bolo.

Em março deste ano, a Argo Blockchain concluiu a aquisição de 320 acres de terras no Texas, para lançar as operações de mineração de Bitcoin.

Em abril, a Riot Blockchain comprou outro enorme local de mineração de Bitcoin no Texas, por US $ 650 milhões. Seus armazéns do tamanho de um campo de futebol abrigam a maior planta de mineração de bitcoin da América do Norte.

Um mês depois, que a proibição da mineração na China realmente começou a afetar, a empresa de mineração chinesa, BIT Mining Limited, anunciou um investimento em um data center de mineração de criptoativos no Texas, de US $ 25 milhões.

E a corrida da mineração de bitcoin não termina aí.

“Recebemos algumas ligações por semana e isso dura cerca de três meses”, disse John King, prefeito da cidade vizinha, Rockdale.

John King disse que, sua pequena cidade tem recebido ligações de empresas na China, após uma recente proibição da mineração naquele país.

Eles são muito sérios”, disse o prefeito John King.

“Eles têm algo entre US $ 30 e US $ 100 milhões que podem gastar para se tornarem operacionais.”

O Texas desenrolou o tapete de boas-vindas para os mineradores do próprio governador Greg Abbott, que twittou “O Texas está se tornando uma meca para os mineiros de bitcoin …”

Mas diante de toda essa hospitalidade, o Texas está em estado de alerta, pois a medida que, mais mineradores chegam, aumenta o risco sobre a capacidade elétrica.

“Eles são devoradores de energia, com certeza”.

Disse Michelle Michot Foss, pesquisadora do Centro de Estudos de Energia do Instituto Baker, da Rice University.

“Não acho que no Texas, na verdade, fizemos um péssimo trabalho em termos de antecipação de crescimento, acho que perdemos isso na compreensão da sensibilidade da quebra do sistema.”

Disse a pesquisadora Michelle Michot Foss.

“E quando você tem um aumento de carga muito maior ao mesmo tempo, então a chance de interrupções está aí.”

ERCOT tem capacidade de aderir à mineração de Bitcoin?

“A ERCOT está monitorando os desenvolvimentos da mineração e avaliando os impactos potenciais na rede”.

Disse um porta-voz da ERCOT.

“É justo dizer que essas cargas de mineração podem ter impactos como qualquer carga grande.”

O senador Cruz, falando no Texas Blockchain Summit, em outubro, disse que o Bitcoin poderia fazer uso dos abundantes recursos de energia do estado, adicionando combustível à imigração mineradora.

“50% do gás natural que é queimado neste país, está sendo queimado no Permiano agora mesmo no oeste do Texas. Acho que é uma oportunidade enorme para o Bitcoin, porque essa é a energia que está sendo desperdiçada”, disse o senador.

De acordo com a Universidade de Cambridge, 61% da rede de mineração de Bitcoin é alimentada por fontes não renováveis ​​ou fontes de energia intensivas em carbono (como gás natural).

Pelos números atuais, isso significaria que a mineração de Bitcoin emite a mesma quantidade de gases de efeito estufa que mais de 59 bilhões de libras de carvão queimado.

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8