Agência japonesa supostamente aprova licença de operação para a Coincheck, exchange hackeada em janeiro

A vítima do maior hack da história das criptomoedas poderá voltar a funcionar?

De acordo com o Nikkei Asian Review, a FSA, Agência de Serviços Financeiros do Japão, supostamente aprovou uma licença de operação de exchange para a Coincheck, plataforma hackeada no início deste ano.

Aparentemente o anúncio oficial ainda não foi realizado e a notícia ainda não foi confirmada.

Em resposta à Nikkei, o Monex Group, que adquiriuexchange após o incidente, declarou: a publicação “não foi baseada em nosso anúncio”.

 “A Coincheck ainda está sob revisão para uma licença de Exchange. Entretanto, não há nenhum fato relacionado ao registro que foi determinado. Seguindo adiante, caso haja fatos relacionados à Coincheck que precisem de divulgação, faremos isso de modo oportuno e apropriado.”

O incidente do início do ano fez com que a Coincheck fosse reconhecida no mundo todo como vítima do maior hack de criptomoedas já registrado, ocupando esta posição até hoje. Segundo registros, a invasão deixou um rombo de mais de US$500 milhões em ativos.

FONTE: COINTELEGRAPH

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli