Airtm cria fundo de caridade visando arrecadar US$1 milhão em criptomoedas para doar à população venezuelana

A iniciativa já conta com US$50 mil em doações

Uma arrecadação de fundos “airdrop” de criptomoedas foi criada para auxiliar a população venezuelana a sobreviver às crises do país.

A iniciativa foi da Airtm, que criou uma wallet visando a arrecadação de US$1 milhão em criptomoedas para 100 mil venezuelanos autenticados pelo ID. As doações podem ser realizadas utilizando Bitcoin, Bitcoin Cash, Ethereum, Ripple, Zcash, Dash, Litecoin, entre outros.

Os ativos poderão ser rapidamente utilizados ou convertidos em dólares pela população.

Até o momento, em torno de US$50.000 foram arrecadados desde o dia do lançamento, em 27 de novembro. Pequenas doações podem ajudar famílias a comprar alimentos, produtos importados escassos e remédios, que muitas vezes custam o salário do cidadão venezuelano.

Atualmente o país apresenta o maior índice de inflação do mundo, tornando a moeda nacional praticamente inútil e impotente. Desta forma, a utilização de criptomoedas se tornou muito popular entre a população.

Observando o cenário, a Airtm apresenta a possibilidade de trocar qualquer moeda, cartões-presente ou criptoativos mantidos pela população por dólares americanos.

Já presente entre os principais tópicos do Twitter, o fundo de caridade ganhou força rapidamente, ajudando a divulgar o auxílio do qual os venezuelanos necessitam.

Em relação ao Petro, a nova criptomoeda em nada melhora o cenário atual.

Na última semana, o WeBitcoin noticiou que o presidente venezuelano ordenou que o valor da moeda aumentasse de $3600 para $9000 bolívares, aumentando ainda mais a antipatia da população pelo ativo.

FONTE: BITCOIN.COM

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli