Alta do Bitcoin gerou quase US$ 900 milhões em liquidações na Bitmex

Analista do Bitcoin sugere que liquidações apresentam movimento semelhante ao que foi visto na Tesla

Que o Bitcoin é volátil todos já estão cansados de saber. A questão aqui está na intensidade dos movimentos de preço do Bitcoin em 2020. Depois de um início de 2019 bastante positivo, o final do ano guardava muita incerteza.

Mas estamos falando de Bitcoin. O maior erro que um trader pode cometer é tratar o BTC como um ativo comum.

Uma alta de 40% em dois dias em dezembro de 2019 fez muita gente ficar um pouco mais rica, enquanto na outra ponta muitas pessoas foram liquidadas pela alta repentina. Chegando em 2020 começamos a ver algo parecido, com mais um mercado marcado por uma alta expressiva.

Através de sua conta no Twitter, o conceituado analista Joseph Young apresentou dados interessantes referentes às consequências práticas da volatilidade do Bitcoin:

“Foi exatamente assim que a Tesla passou de US$ 409 para US$ 968.

 

 

Ironicamente, os vendedores desprotegidos continuaram a fornecer combustível extra ao BTC. À medida que o preço subia, forçava os traders a reajustar, havendo a compra pelo preço de mercado (compra instantânea) e criando demanda de compra.

 

 

Estamos vendo uma tendência semelhante com o Bitcoin.”

O primeiro ponto que podemos destacar é justamente o principal: quase 900 milhões de dólares em liquidações na Bitmex causadas pela alta de US$ 500 do BTC no dia 10 de fevereiro. Essa alta, por sinal, ocorreu em apenas poucos minutos, pegando muitos traders de surpresa.

Como mencionado anteriormente, ainda em 2019 havíamos tido uma onda de liquidações nos shorts com a recuperação do BTC. Agora, em menor escala, vemos o mesmo movimento se repetir.

O segundo ponto que podemos nos atentar é referente à correlação sugerida por Young. Para ele, as liquidações dos shorts no Bitcoin podem gerar o mesmo efeito de bola de neve compradora que ocorreu recentemente com as ações da Tesla.

Por essa linha de pensamento, o Bitcoin poderia ultrapassar os US$ 20.000 nas próximas semanas, criando uma nova máxima histórica para o BTC.

Se o Bitcoin seguirá esse caminho ainda não sabemos. Certamente ficamos na torcida para que isso ocorra e, dessa forma, 2020 marque uma nova ATH para a principal criptomoeda.

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.