Apesar do declínio do mercado, iranianos ainda lucram com a mineração de Bitcoin

O ativo deve chegar a US$2 mil para que as máquinas passem a operar no vermelho

Graças às sanções americanas, muitos iranianos utilizam criptomoedas para sobreviver às dificuldades econômicas. Explorando este mercado, o país passou a minerar Bitcoin, e mesmo com o cenário atual apresentado pelo ativo, as mineradoras iranianas  ainda conseguem obter lucros.

De acordo com o Atlantic Council, Ali Hosseni, um iraniano de 26 anos, e seu primo Pedram Ghasemi, adquiriram um dispositivo de mineração Bitcoin Antminer S9 em outubro, quando a moeda era negociada por US$6500.

Apesar da queda após a compra, os primos afirmaram que ainda não registraram perdas graças ao preço da eletricidade estar “relativamente baixo”. Atualmente o Irã ocupa o primeiro lugar em subsídios de energia no mundo, cujo valor representa 10,4% do PIB anual do país.

De acordo com Hosseni, o Bitcoin deve cair para US$2000 para que a mineradora passe a trabalhar no vermelho.

Ao invés de encerrar as atividades e vender seus equipamentos como muitas mineradoras fizeram, eles declararam que pretendem comprar mais dispositivos de mineração, prevendo que a criptomoeda irá inevitavelmente substituir o dinheiro tradicional.

FONTE: COINTELEGRAPH