Após meses de espera, Bakkt irá testar futuros de Bitcoin hoje

Bakkt irá realizar os primeiros testes com futuros de Bitcoin

Como noticiado anteriormente pelo WeBitcoin, nesta segunda-feira (22) a Bakkt irá realizar um teste de custódia e futuros de Bitcoin.

De acordo com, Kelly Loeffler, CEO da plataforma, o “evento” consiste em um teste de aceitação do usuário (UAT) voltado a futuros e custódia, que será realizado com o objetivo de “garantir que os clientes tenham tempo para participar e testar o modelo de negociação e custódia” desenvolvido pela Bakkt.

Anunciada no ano passado, a plataforma irá fornecer produtos financeiros em conformidade e a custódia regulada como parte de seus contratos futuros de Bitcoin com margens diárias e mensais, planejando ainda desenvolver uma infraestrutura confiável para sua rede global aberta e integrada, que será usada para comprar, vender e comercializar ativos digitais com segurança.

Mesmo continuando no aguardo por aprovação do CFTC, a Bakkt já iniciou seu processo de aquisição, visto que em janeiro a plataforma anunciou que estava adquirindo “certos ativos” do RCG (Rosenthal Collins Group), comerciante de comissões futuras.

De acordo com o COO Adam White, a Bakkt irá fornecer o “primeiro ecossistema de ponta-a-ponta regulamentado para a descoberta de preço para as criptomoedas”, afirmando ainda que o Bitcoin “será armazenado em um custodiante regulamentado, e negociado e liberado em uma exchange e câmara de compensação regulamentadas pelo governo federal”.

Falando sobre a estrutura de armazenamento, White pontua que a plataforma utiliza tanto a arquitetura de warm wallet quanto de cold wallet, sendo que a maioria dos fundos são armazenados em cold wallets com “lacunas” que são seguradas com uma política de US$100 milhões “subscrita pelas principais operadoras de seguros globais”.

Para se provarem aptos a adquirir contratos futuros de Bitcoin, os traders deverão passar  por verificações KYC (know-your-costumer) e antilavagem de dinheiro.

Assim que aprovada, a Bakkt irá proporcionar uma grande exposição das instituições às criptomoedas, que ultimamento atraíram um olhar negativo graças à Libra, criptomoeda do Facebook.

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli