Apple se desculpa por captar áudios não autorizados

Pedido público de desculpas veio acompanhado de mudanças na política de privacidade da empresa

A Apple se desculpou após revelações de que pagou a terceiros para ouvir gravações de voz de usuários da Siri. A prática conhecida como “grading” tem sido usada por várias empresas de tecnologia como uma maneira de melhorar a qualidade do reconhecimento de fala.

“Percebemos que não estamos cumprindo plenamente nossos principais ideais e, por isso, pedimos desculpas.” – declarou a Apple

A Apple anunciou que iria interromper o grading depois que o The Guardian informou em julho que funcionários ouviam regularmente as conversas de pessoas que faziam uso de comandos de voz. Enquanto os dados são anonimizados, essas conversas incluem detalhes identificáveis, como o nome de uma pessoa, registros médicos, transações envolvendo drogas e relações sexuais, de acordo com o relatório. Você pode conferir o texto na íntegra (em inglês) clicando aqui.

Contudo, a Apple planeja continuar seu programa de revisão da Siri no futuro, mas só receberá gravações de áudio de pessoas que optarem por fornecer esses dados.

Em vídeo postado hoje pela Bloomberg, o co-fundador da Apple, Steve Wozniak, demonstrou insatisfação com a forma que a empresa tem sido gerida e defendeu um rompimento com as gigantes do mercado de tecnologia. Wozniak também criticou essas mesmas empresas por usarem humanos para ouvir os assistentes de voz, apontando para a Alexa da Amazon e para a Siri da Apple, alegando que isso infringe a privacidade.

Recentemente publicamos aqui no Webitcoin uma reportagem da Bloomberg que acusava o Facebook de cometer as mesmas práticas da Apple. Segundo a Bloomberg, o Facebook empregava funcionários com a função de ouvir as conversas pessoais dos usuários em seu aplicativo messenger. A matéria completa pode ser acessada nesse link.

Em conversas com jornalistas, funcionários do Facebook disseram que a ordem era de transcrever gravações de áudio. Entretanto, esses funcionários afirmaram que não eram informados sobre onde o áudio era gravado ou como havia sido obtido. Como no caso da Apple, os trabalhadores ouviam as conversas dos usuários, que por vezes incluíam conteúdo íntimo e privado.

Comunicado da Apple

Também hoje, dia 28 de agosto, a Apple fez uma postagem em seu site oficial falando a respeito da aplicação de mudanças em seus parâmetros de privacidade. Confira abaixo os trechos principais do comunicado da empresa:

“Primeiro, por padrão, não manteremos mais as gravações de áudio das interações envolvendo a Siri. Continuaremos a usar transcrições geradas por computador para ajudar a melhorar a Siri.

 

Em segundo lugar, os usuários poderão optar por ajudar a Siri a melhorar aprendendo com as amostras de áudio. Esperamos que muitas pessoas escolham ajudar a Siri a melhorar, sabendo que a Apple respeita seus dados e possui fortes controles de privacidade. Aqueles que optarem por participar poderão cancelar a qualquer momento.

 

Terceiro, quando os clientes aceitam, apenas funcionários da Apple poderão ouvir amostras de áudio das interações com a Siri. Nossa equipe trabalhará para excluir qualquer gravação que seja determinada como um acionador inadvertido da Siri.”

O texto completo pode ser lido (em inglês) clicando nesse link.

 

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.