As criptomoedas farão parte do Citigroup Financial Service

O Citigroup está considerando oferecer serviços de criptoativos, custódia e financiamento na presença de incertezas regulatórias.

Dois anos depois que o Citigroup tentou seu experimento malsucedido da cripto Citicoin, ele agora está procurando entrar no espaço da criptomoeda, embora com bastante cautela em meio à incerteza regulatória. Essa abordagem está em linha com as declarações feitas no primeiro semestre de 2021 por Itay Tuchman, Chefe Global de Câmbio do Citi, quando disse que “entrará em ação“, quando puder construir algo que beneficiará os clientes e que os reguladores possam apoiar.

De acordo com seu portal de recrutamento, o Citigroup está procurando um pessoal experiente para se juntar a uma equipe focada em criptoativos, em Londres.

Resiliência escalável e transparência são duas preocupações principais, de acordo com o CEO. Atualmente, o Citi Bank está trabalhando para conectar clientes à carteiras, e permitir que clientes corporativos aceitem pagamentos de consumidores em criptomoeda. Ele quer ter certeza de que há uma rede de segurança para clientes de varejo, que podem não estar totalmente familiarizados com a natureza arriscada das criptomoedas.

De acordo com a Goldman Sachs, os clientes questionam a legitimidade das criptomoedas como uma classe de ativos, e seu papel potencial em uma carteira de investimentos. O World Gold Council argumenta que o BTC não deve ser usado como um substituto para o ouro, em carteiras de investimento.

Bancos adotando uma abordagem diferente para criptoativos.

É interessante estudar as abordagens dos bancos à criptomoeda, uma vez que a natureza descentralizada da cripto parece estar em desacordo com o papel dos bancos de intermediários nas transações financeiras. Apesar disso, a CEO do Citigroup, Jane Fraser acredita que as criptomoedas vieram para ficar.

Em agosto de 2021, o banco analisou a negociação de futuros de bitcoin na Chicago Mercantile Exchange para expor clientes institucionais a ativos digitais. Em junho de 2021, o Citigroup lançou uma unidade de negócios para oferecer produtos relacionados à criptomoedas sob a bandeira de gestão de fortunas.

Os clientes de gestão de fortunas do JPMorgan Chase, tiveram acesso a seis fundos de criptoativos no início de agosto de 2021. O Morgan Stanley também oferece uma exposição substancial à cripto a seus clientes.

De acordo com Tuchman, o interesse pelo bitcoin começou a surgir em agosto de 2020, de diversos clientes. Alguns solicitaram pesquisas, enquanto outros pediram um envolvimento mais ativo, que incluiu a negociação de uma variedade de criptomoedas por meio do banco, e acordos de financiamento com participações em criptomoedas.

 

Fonte: BeinCrypto

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8