Atletas que ganharem uma medalha nas Olimpíadas receberão uma recompensa em bitcoin

Na Índia , os atletas que ganharem uma medalha nas Olimpíadas receberão uma recompensa em bitcoin.

Esta não é uma iniciativa estatal, mas uma iniciativa promocional privada da exchange BitBns.

De acordo com o jornal local The Economic Times , a exchange dará a todos os atletas vencedores de medalhas uma conta SIP com crédito automático gratuito em rúpias para comprar criptomoedas.

O chamado SIP nada mais é do que um plano de acumulação, com compras constantes ao longo do tempo, a custos fixos e preços de mercado. Os atletas terão apenas que completar o processo KYC de verificação de sua identidade para acessar seu SIP criptográfico.

Os medalhistas de ouro serão creditados com 200.000 rúpias, medalhistas de prata com 100.000 rúpias e medalhistas de bronze com 50.000 rúpias.

A partir de hoje, 1 rúpia vale cerca de US$ 0,013, então os medalhistas de ouro receberão cerca de US$ 2.600, medalhistas de prata US$ 1.300 e medalhistas de bronze apenas US$ 650, mas, novamente, esta é apenas uma operação promocional.

  • Atletas que ganharem uma medalha nas Olimpíadas receberão uma recompensa em bitcoin.

O total de medalhas da Índia no momento é decididamente escasso, igual, por exemplo, ao da minúscula República de San Marino, com apenas duas medalhas, uma de prata e outra de bronze. Portanto, é provável que a exchange acabe pagando uma ninharia em troca de grande publicidade.

A exchange informa que o SIP será estruturado por um período de três a cinco anos, oferecendo aos atletas “uma exposição contínua ao ativo digital, permitindo-lhes ganhar uma fonte fixa de renda a longo prazo por meio da plataforma”.

O CEO da Bitbns, Gaurav Dahake, disse:

“Bitcoins e Ethereum têm sido os ativos de melhor desempenho na última década e têm proporcionado retornos excepcionais e pretendemos que nossos vencedores se entreguem a essa jornada gratificante”.

A Índia continua sendo um país muito ambíguo quanto à sua atitude em relação às criptomoedas.

Por um lado, muitos indianos parecem interessados, mas ainda são apenas uma pequena minoria. No entanto, com quase 1,4 bilhão de habitantes, mesmo uma minoria insignificante de 1% ainda constituiria um número considerável de pessoas.

Por outro lado, o governo parece se opor à disseminação de criptomoedas no país, e os volumes de trading de criptoativos ainda não parecem particularmente altos.

O próprio Bitbns tem um volume diário de negociação de menos de 30 milhões de dólares , em comparação com os 19 bilhões da Binance, por exemplo.

No entanto, dado que o principal par de câmbio na bolsa indiana é conhecido como BUSD / INR, ou seja, Binance USD em rúpias, e o segundo USDC / INR, é possível que os indianos o usem principalmente para trocar moeda fiduciária por stablecoins , para ser usado em outras exchanges, presumivelmente estrangeiras.

 

Fonte: Cryptonomist

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8