Banco Central de Portugal concede primeiras licenças a exchanges locais

Segundo um anúncio no site, Banco Central de Portugal concede primeiras licenças a exchanges locais.

O Banco de Portugal, o banco central do país, emitiu pela primeira vez licenças de funcionamento para duas exchanges locais, indica um anúncio no site. Receberam as licenças a Criptoloja, de Lisboa, e a Mind The Coin, de Braga.

Foi um longo caminho. Ser a primeira exchange regulamentada em Portugal significa muito ”, afirmou Pedro Borges, CEO da Criptoloja, em comunicado. A bolsa de critpoativos solicitou a primeira licença em 29 de setembro do ano passado, conforme relatórios .

O regulamento é, no entanto, limitado a fins de ABC / CFT, e não se estende a outras áreas de conduta prudencial, de mercado ou quaisquer outras atividades, disse o banco.

O Banco de Portugal recebeu este ano cinco pedidos formais de registo de exchanges e mais de 60 contatos “informais”.

“O Aviso do Banco de Portugal regula… entidades que pretendam exercer, em território português, atividades com ativos virtuais sujeitos a registro, bem como as alterações subsequentes dos elementos a registar”, dizia o aviso, referindo-se às criptomoedas como ‘ ativos virtuais. ‘

Não lute contra as criptomoedas

Nos termos, a nova licença do Banco de Portugal ignora as atividades de serviços de câmbio entre uma ou mais criptomoedas e moedas fiduciárias, serviços de transferência de criptomoedas.

Outras áreas incluem a guarda e / ou administração de criptomoedas ou instrumentos que permitem o controle, propriedade, armazenamento ou transferência de tais ativos, incluindo chaves criptografadas privadas.

As inscrições tornou legal para as duas empresas para serviços de trading dos utilizadores em Portugal. A Criptoloja planeja um lançamento nas próximas “duas semanas”, o que poderia dar à empresa e à Mind the Coin uma vantagem inicial em negócios que obterão registros no futuro.

Portugal é um dos poucos países ‘amigáveis’ com o Bitcoin e outras criptomoedas. As autoridades estão adotando a abordagem regulamentar, em vez de proibir , em relação à classe de ativos em expansão, na esperança de que tais movimentos tenham retorno no futuro (econômica e financeiramente).

Isso é semelhante ao que muitos países da Europa e, principalmente, da América Latina estão fazendo. Porque depois de você, se você não pode lutar, você se junta a ele.

 

Fonte: CryptoSlate

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8