Banco Central Europeu: Criptomoedas não possuem grande impacto na economia

Banco Central Europeu publica relatório sobre criptomoedas

Em um relatório publicado recentemente, o Banco Central Europeu (ECB) afirmou que criptomoedas não possuem implicação na política monetária ou fator na economia.

Chamado “Criptoativos: Implicações para estabilidade financeira, política monetária, e pagamentos e infraestrutura de mercado”, o relatório mostra certa observação do impacto em potencial das criptomoedas nos desenvolvimentos econômicos e política monetária.

O banco afirma especificamente que tais implicações poderiam ocorrer caso os ativos digitais se tornem um substituto credível para dinheiro e depósitos, ao passo que atualmente eles não cumprem funções de dinheiro.

Ademais, o banco declara que o desenvolvimento das criptomoedas permanece limitado, com um pequeno número de comerciantes aptos a permitir compras e serviços com ativos digitais, considerando a volatilidade do valor.

Entretanto, o banco observa que o desenvolvimento das stablecoins, que possuem o valor atrelado a moedas fiat, ativos físicos ou algoritmos, garante monitoramento contínuo graças à diminuição na volatilidade, caso forem atreladas às reservas do Banco Central.

Concluindo, o ECB argumenta que “a falta de qualquer instituição específica (como um banco central ou autoridade monetária) protegendo a valor dos criptoativos dificulta seu uso como forma de dinheiro, visto que sua volatilidade: a) impede seu uso como reserva de valor; b) desencoraja seu uso como forma de pagamento; e c) torna difícil seu uso como unidade de conta.”

No início do mês, o presidente do ECB Mario Draghi declarou que criptomoedas “não são significativas o suficiente em sua entidade para afetar nossas economias de uma forma impactante”, acrescentando:

“Criptomoedas ou Bitcoins, ou qualquer coisa do tipo, não são realmente moedas, são ativos. Um euro é um euro, hoje, amanhã, dentro de um mês, é sempre um euro. E o ECB está por trás do euro. Quem está por trás dos criptoativos? Então eles são ativos muito, muito arriscados.”

Concordando com o posicionamento do banco em relação às stablecoins, o governador do Banco da França, Francois Villeroy de Galhau, afirmou que o banco está de olho no desenvolvimento de tais ativos. Villeroy afirmou que stablecoins “são um tanto diferentes de ativos especulativos como Bitcoins, e mais promissoras.”

FONTE: COINTELEGRAPH

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli