Bancos suíços facilitam acesso de Startups para evitar perda de demanda

A iniciativa deve evitar o êxodo das empresas de criptografia

Nesta sexta-feira (21 de Setembro) a Associação dos Banqueiros Suíços emitiu um documento de orientação aos bancos que trabalham com startups no país.

De acordo com o documento, o blockchain é visto como uma oportunidade de abrigar startups financeiras e tecnológicas, apesar dos riscos envolvidos.

Leia mais: Venezuela adotará a Petro em negociações globais

Aparentemente, a medida foi tomada com a intenção de evitar um êxodo em massa de empresas de criptografia. Deste modo, os bancos suíços não hesitarão em abrir contas corporativas para este tipo específico de mercado.

A nova regulamentação divide as empresas de criptografia em dois grupos: as que não possuem ICO e as que possuem.

As que não possuírem ICOs serão tratadas como empresas de pequeno e médio porte. Dessa forma, serão obrigadas a trabalhar dentro dos regulamentos suíços.

Já o segundo grupo cumprirá regras mais rígidas, devendo integrar os sistemas Know Your Costumer (Conheça Seu Cliente) e Anti-Money Laudering (Anti Lavagem de Dinheiro) para garantir maior segurança.

Acreditamos que (…) poderemos estabelecer uma base de discussão entre bancos e startups (…) facilitando a abertura de contas.”, declarou Adrian Schatzmann, conselheiro da Associação.

O caso dos Bancos Brasileiros

Ao perceber que estava negligenciando uma importante demanda, os banqueiros suíços resolveram se posicionar à favor do novo movimento. No Brasil, por outro lado, os bancos reprimem o acesso de empresas relacionadas à criptografia.

Desde o início do ano, várias contas foram canceladas e um dos casos rendeu um grande processo na justiça.

Atualmente, a questão está sendo investigada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica.

Leia mais: Campanhas políticas são proibidas de receber doações em Bitcoin na Califórnia

FONTE: COINTELEGRAPH