Bettina Rudolph e Emílio Surita citam criptomoedas durante o programa Pânico na Jovem Pan

Programa recebe a jovem para discutir os anúncios da Empiricus

Bettina Rudolph, jovem milionária que ficou famosa após fazer propagandas para a Empiricus, foi convidada a participar do programa Pânico da Jovem Pan na quinta-feira, 21 de março.

Contando também com a participação de Felipe Miranda, CEO da Empiricus, o programa durou pouco mais de uma hora e abordou os famosos anúncios da empresa, focando principalmente em Bettina, que afirma ter iniciado com um investimento de R$1500 e atualmente possui um patrimônio de mais de R$1 milhão.

Em determinado momento do programa, a jovem diz possuir um portfólio diversificado de investimentos, incluindo renda fixa, crédito privado e “até criptomoedas”. A alegação não surpreende, visto que Bettina já havia revelado possuir tanto Bitcoin quanto Litecoin em um story no Instagram.

Logo após a afirmação, o apresentador Emílio Surita disse já ter comprado Petro, a controversa criptomoeda de Nicolás Maduro, por indicação da Empiricus.

“Eu comprei a Petro, você achou que foi um bom negócio?”

Percebendo certa tensão por parte de Felipe Miranda, Surita rapidamente afirmou que a fala foi uma tentativa de descontrair a conversa, chegando a comparar a seriedade da discussão com o Globo News.

Durante um programa realizado em agosto de 2018, o apresentador disse que ficou rico com Bitcoin. Aparentemente, tanto ele quanto o apresentador e humorista Daniel Zukerman investiram em 2010, época na qual a moeda valia centavos de dólar.

“To muito feliz, nunca pensei que isso aí fosse virar o que virou.”, disse Emílio na época.

Bettina e o mercado de criptomoedas

No vídeo em que mostrou seu portfólio, a jovem afirmou que acha criptomoedas “uma bosta”, revelando em seguida que já perdeu dinheiro com o investimento.

Entretanto, logo em seguida, Bettina diz que “tem que ter, porque é um risco que você não se machuca se você perder”.

“…ta aí, porque eu to exposta a chances. Se o negócio ‘der boom’ de novo eu não vou perder a oportunidade.”

A partir da fala, é fácil deduzir que a jovem provavelmente comprou os ativos na alta de 2017 e sofreu uma perda (de 60%, segundo o story) com a queda que se seguiu.

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli