Bitback: Nova startup brasileira realiza serviços de cashback com Bitcoin

Nova plataforma viabiliza serviços de cashback com Bitcoin

Atualmente o Brasil é um dos muitos países onde as criptomoedas estão em estado de desenvolvimento embrionário, e grande parte da população ainda não é familiarizada com o setor. Para mudar este cenário, pouco a pouco surgem novas startups focadas na adoção do mercado, buscando promover cada vez mais o uso de moedas digitais.

Seguindo o mesmo objetivo, recentemente o co-fundador da ZCore Otavio Lima lançou a Bitback, uma plataforma online totalmente gratuita que realiza serviços de cashback (dinheiro de volta) com Bitcoin.

A startup é a primeira de Crypto Cashback no Brasil, e já conta com centenas de parceiros cadastrados, como Submarino, Carrefour, Polishop, Walmart e Casas Bahia.

Por meio do serviço, o consumidor recebe em Bitcoin uma porcentagem (previamente estabelecida por cada loja) da quantia gasta no momento da compra. Para tornar tudo possível, a Bitback recebe uma comissão para divulgar as lojas parceiras, quantia que é dividida com aqueles que fazem parte do programa de cashback.

Para identificar plataformas de venda que fazem uso do serviço, os interessados podem instalar uma extensão do Chrome que avisa assim que o navegador acessa sites cadastrados no programa, ou podem pesquisar no buscador do próprio Bitback.

WeBitcoin: Bitback: Nova startup brasileira realiza serviços de cashback com Bitcoin

Falando sobre a iniciativa com o WeBitcoin, Otavio Lima declarou que o objetivo do projeto é “introduzir cada vez mais pessoas no mundo cripto”.

“Muitas pessoas não entram por conta de MEDO ou mesmo desconhecimento. Então pensei que se a entrada deles no mundo de criptomoedas fosse através de cashback, seria ótimo. Pois você já compra em sites de e-commerce, se puder ter o dinheiro de volta em Bitcoins, e ele ainda valorizar, olha que maravilha.”

Lima aponta que em 2018 cerca de 58 milhões de pessoas realizaram compras online e geraram mais de R$53 bilhões em faturamento, e menos de 1% passa em sites de cashback. Os dados tornam o novo serviço a junção perfeita de uma grande demanda com o desejo de promover a adoção das criptomoedas.

Quando questionado sobre a adição de suporte para outros ativos, Otavio destacou que no momento, “o foco é introduzir as pessoas para conhecerem o Bitcoin”, acrescentando que futuramente, “quem sabe”, a iniciativa possa integrar outras criptomoedas em seu portfólio.

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli