Bitcoin amplia dominância sobre altcoins

Domínio do Bitcoin é o maior desde março de 2017

A primeira semana de setembro marcou uma boa reação por parte do Bitcoin. O BTC fechou o mês de agosto valendo aproximada mente U$ 9.500 e rapidamente escalou mais de mil dólares, sendo cotado à U$ 10.668 durante a redação desse texto.

Muito se pergunta sobre as altcoins e quando (ou se) elas verão novamente um período de “Bull Run”. Na opinião do analista Max Keiser, já citado aqui no Webitcoin em diversas matérias, as altcoins não tem um bom futuro pela frente. Em sua conta no Twitter Max demonstrou pessimismo quando questionado sobre o assunto:

“Alts nunca mais retornarão… desculpe.”

BTC avança para 70% de dominância no mercado

O contexto geral dos questionamentos sobre as altcoins diz respeito ao cada vez maior poderio do Bitcoin frente às alts. Os ganhos vistos nos últimos quatro dias parecem sustentáveis ​​e podem ser estendidos ainda mais, já que a taxa de dominância do BTC, ou seja, a participação do ativo no mercado total de criptomoedas, saltou para 70,28%, o nível mais alto desde março de 2017, de acordo com o CoinMarketCap.

No front principal de resistência temos a Ethereum com 7,21% do mercado, seguida por Ripple (4,21%), Bitcoin Cash (2,01%) e Litecoin (1,61%). O que mais impressiona é notar que as criptomoedas citadas são as únicas que atualmente possuem participação de mercado acima de 1%. Somadas, as quatro moedas tem apenas 15,04% da porcentagem total do mercado das criptomoedas.

Para efeito de comparação, em 8 de janeiro de 2018, poucas semanas após a máxima histórica do Bitcoin perto com U$ 20.000, o BTC registrava “apenas” 33,41% do mercado, com as já mencionadas altcoins somando juntas 36,15% do mercado. Ou seja, a capitalização de mercado das quatro maiores criptomoedas juntas chegou a ser maior do que a capitalização do Bitcoin no início de 2018.

Se um dia voltaremos a ver a era dourada das altcoins ainda não sabemos. Nos resta agora embarcar na onda do BTC e torcer por dias melhores para nossas amadas criptomoedas.

*Imagem de: Gerd Altmann por Pixabay

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.