Bitcoin desperta interesse político em Vladimir Putin e Xi Jinping

Declarações da Rússia e da China sugerem que os dois estão unificados e preparados para evitarem sanções econômicas, com o Bitcoin sendo uma ferramenta em potencial.

Putin Xi
Rússia e da China se unindo para para evitarem sanções econômicas, com o Bitcoin sendo uma ferramenta em potencial.

Surgiram notícias de que o presidente russo Vladimir Putin havia emitido uma carta ao povo da China, publicada por uma agência de notícias local, detalhando o comércio em andamento entre os dois países e projetos de infraestrutura mutuamente benéficos.

O presidente chinês Xi Jinping e o presidente russo Vladimir Putin também se encontraram em Pequim antes da abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022, sediados em Pequim. A partir dessa reunião, os líderes emitiram uma declaração conjunta que confirmou o apoio da Rússia à China em suas disputas com Taiwan; expressou preocupação com uma aliança de defesa liderada pela Austrália, Reino Unido e EUA; e criticou a expansão da Otan, entre outras coisas.

Vizinhos que enfrentam sanções podem recorrer ao Bitcoin

Mas entre todas as linhas geopolíticas traçadas por esses dois líderes, uma questão em particular pode sinalizar atitudes futuras em torno do Bitcoin. A Rússia e a China têm estado na mira de muitos tópicos políticos tensos e foram alvos de ameaças de sanções econômicas recentemente, tornando não surpreendente que os dois vizinhos estejam buscando alianças em torno do comércio e do desenvolvimento científico.

Conforme escreveu Putin em sua carta ao povo chinês:

Estamos expandindo consistentemente os acordos em moedas nacionais e criando mecanismos para compensar o impacto negativo das sanções unilaterais. Um marco importante neste trabalho foi a assinatura de um acordo entre o governo da Rússia e o governo da China sobre pagamentos e liquidações em 2019.

Isso vem logo após as ameaças de cortar a Rússia do sistema SWIFT que foram feitas poucos dias antes. A Rússia está particularmente bem posicionada para evitar sanções, considerando o tesouro de reservas cambiais que detém, avaliadas em US$ 600 bilhões apenas cinco meses atrás.

O questionamento a se fazer é se essas ações implicam interesse em uma estratégia de adoção mais ampla do Bitcoin por uma ou ambas as superpotências?

Não parece uma realidade distante. O Banco Central da Rússia sugeriu a proibição do Bitcoin, e Putin (apoiado por outros membros do governo) recuou, sugerindo que a Rússia ganharia vantagens com Bitcoin e mineração, conforme relatado pela Bitcoin Magazine no final do mês passado. Tangencialmente, a Bielorrússia sinalizou interesse em manter sua abordagem liberal ao Bitcoin apenas um dia antes.

Nas entrelinhas

Conforme analisado por Bitcoin Magazine, para aumentar ainda mais a probabilidade de interesse implícito no Bitcoin, precisamos nos voltar para a leitura nas entrelinhas. A China esteve sob pressão durante esta crise energética, juntamente com os membros da UE. De particular interesse é a seca que vem ocorrendo neste inverno na China, resultando em alertas de cortes de abastecimento de água não característicos e não anunciados. com a província de Yunnan em particular sendo espremida pela redução da produção de energia hidrelétrica graças às secas, atingindo um importante fornecedor de energia para Guangzhou, capital de Guangdong. Guangdong é anunciado como uma “potência” da China em termos de atividade comercial. Se o fornecedor de energia para uma fonte tão importante de comércio para a China tem um problema, então o presidente Xi tem um problema.

Com esse contexto, outra seção da carta de Putin é particularmente reveladora:

Uma parceria energética mutuamente benéfica está sendo formada entre nossos países. Juntamente com o fornecimento de petróleo e gás a longo prazo para a China, temos planos de implementar vários projetos conjuntos de grande escala. A construção de quatro novas unidades de energia em usinas nucleares chinesas com a participação da Rosatom State Corporation lançada no ano passado é uma delas. Tudo isso fortalece significativamente a segurança energética da China e da região da Ásia como um todo.

Putin parece entender o valor que o Bitcoin traz ao fornecer incentivos para criar uma produção de energia expandida e robusta (por todas as fontes), incluindo os aspectos positivos ambientais que a mineração de Bitcoin produz ao fornecer um caso de uso para o gás de queima. Além disso, o Bitcoin provavelmente se mostrou desejável em seu potencial de resistência à censura diante de ameaças de nações ocidentais que esperam cortar a Rússia do sistema SWIFT.

E, por último, mas não menos importante, está base da descentralização da rede. O número de nós do Bitcoin alcançáveis ​​em todo o mundo está se aproximando rapidamente de um número assustador de 15.000.

O Bitcoin continua provando seu valor para o mundo, e parece seguro dizer que podemos esperar que mais países anunciem interesses daqui para frente. Apertem os cintos Bitcoiners, nós apenas começamos o segundo mês do ano.

Foto de Washington Leite
Foto de Washington Leite O autor:

Formado em Administração de Empresas, sou entusiasta da tecnologia e fascinado pelo mundo das criptomoedas, me aventuro no mundo do trade, sendo um eterno aluno. Bitcoin: The money of the future

WashingtonLeite_