Mineradores estão enviando Bitcoin para exchanges novamente – o que isso significa?

As saídas de Bitcoin das carteiras dos mineradores aumentaram, com a maioria das moedas chegando às exchanges de criptomoedas

O fluxo líquido de Bitcoin dentro ou fora dos endereços dos mineradores caiu para -2.935 BTC na terça-feira (23), atingindo o nível mais baixo desde junho de 2019, de acordo com a fonte de dados Glassnode. Em outras palavras, as carteiras de mineradoras testemunharam a maior saída de moedas em um ano.

glassnode-studio_bitcoin-miners-netflow-volume

Fonte: Glassnode

 

“Houve um grande aumento nos fluxos de mineração da noite para o dia, estou esperando muitas vendas, começando em breve”, twittou o popular analista de criptomoedas Cole Garner, juntamente com um gráfico da empresa de análise de blockchain CryptoQuant mostrando um grande aumento nas saídas dos mineradores às 10:00 UTC na terça-feira (23).

Entretanto, o volume de fluxo líquido dos mineradores não nos informa se as moedas foram enviadas para exchanges por liquidação ou vendidas em uma operação de balcão.

No entanto, outra métrica, que rastreia o fluxo de moedas das carteiras dos mineradores às exchanges de criptomoedas, mostra que quase 97% da saída total de 2.935 BTC dos endereços dos mineradores foi depositada nas exchanges de criptomoedas na terça-feira (23).

glassnode-studio_bitcoin-miners-to-exchanges

Fonte: Glassnode

 

O total de 2.844 BTC que foram trocados por plataformas foi o mais alto desde 26 de março. Esse é um grande aumento: na segunda-feira (22), apenas 404 BTC foram depositados em exchanges.

Com o aumento repentino no número de moedas disponíveis nas exchanges para liquidação, o Bitcoin parece vulnerável a uma queda de preço notável. Tais picos nas saídas de mineradoras precederam quedas de preços no passado, embora não signifiquem necessariamente que uma queda esteja a caminho.

Por exemplo, as saídas aumentaram de 380 BTC para 1.824 BTC em 2 de agosto de 2019, mas a criptomoeda estendeu seu rali de recuperação para atingir altas acima de US$ 12.300 em 6 de agosto.

Resta ver se o último aumento nas saídas de mineradores produz uma queda de preço notável ou armadilhas no lado errado do mercado. Apoiando o argumento de uma queda está o fato de que as mineradoras gastaram menos do que mineraram nas últimas 24 horas, elevando o inventário contínuo (MRI) dos mineradores acima de 100%, de acordo com o ByteTree.com.

Fonte: ByteTree

 

Os mineradores normalmente acumulam moedas quando sentem que o mercado não tem força para absorver suas ofertas.

No momento da redação desse texto o Bitcoin está sendo negociado perto de US$ 9.065. Os preços estão presos na faixa de US$ 9.000 a US $ 10.000 pela sexta semana consecutiva.

Fonte: CoinDesk

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.