Bitcoin: os três erros de Satoshi Nakamoto

Adam Back, CEO da Blockstream, falou sobre o Bitcoin e Satoshi Nakamoto

O dia 26 de abril de 2011 marcou o desaparecimento do lendário Satoshi Nakamoto do Bitcoin. Os sistemas financeiros centralizados levaram Nakamoto a desenvolver um cenário financeiro “autossustentável” alternativo. No entanto, se Nakamoto tivesse continuado a existir no criptoecossistema, o Bitcoin seria tão descentralizado como é hoje? Ou o “ditador” Satoshi teria assumido o comando completo e feito uma versão 2.0 do sistema financeiro já existente?

Falando em linhas semelhantes em um podcast recente, Adam Back, CEO da Blockstream, afirmou que se Nakamoto existisse e ocupasse o “papel central”, definitivamente teria chegado um momento em que o desejo de mudar para uma estrutura descentralizada teria surgido.

De acordo com o executivo, alguns aspectos do Bitcoin, como seu design, foram trabalhados desde o ano 1997-98 em si, com Back argumentando como as “peças que faltavam” acionaram e permitiram que Satoshi preenchesse a lacuna e criasse Bitcoin.

Lançando luz sobre a relevância de Satoshi hoje, Back também destacou como pode ser “perigoso” para alguém reivindicar o controle centralizado. Após a saída de Satoshi, o Bitcoin foi visto mais como uma “mercadoria e uma descoberta”, em vez de um “projeto de tecnologia com um líder”, acrescentou.

Back continuou a dizer:

“Acho que a intenção dele era clara – ele decidiu ir embora. Não devemos tentar desfazer isso.”

Foi necessário que Nakamoto recuasse e intencionalmente ocultasse sua identidade, afirmou Back, com o executivo acreditando que mesmo se Satoshi ainda estivesse por perto, o Bitcoin seria o Bitcoin. Dito isso, a mídia provavelmente o projetaria como uma celebridade e amplificaria cada pequena coisa que ele fizesse.

Afirmando por que não é necessário que os desenvolvedores leiam os escritos de Satoshi, Back também expandiu sobre como ele “não era fã de citar Satoshi”. Ele adicionou:

“Provavelmente há mais informações condensadas e acessíveis agora. Acho que é importante que as pessoas formem uma opinião sobre o que é importante, sobre o que é diferenciado e valioso sobre o Bitcoin.”

Destacando os três principais erros que Satoshi cometeu, Back atestou como a maleabilidade da transação se tornou um grande problema para a implantação de contratos inteligentes. Ele passou a afirmar como algumas das ideias incompletas de Satoshi, como o conceito de “lightning channel” rudimentar com números de sequência, não funcionaram muito bem. Os bugs de código de Satoshi também alimentaram alguns problemas de segurança, concluiu ele.

“Você pode melhorar o sistema de algumas maneiras, mas vai piorá-lo de outras maneiras e é aí que fica interessante.”

De acordo com Back:

“O sistema está extremamente bem otimizado e não há muita perspectiva de um avanço repentino.”

O executivo da Blockstream finalmente concluiu argumentando que os desenvolvedores do Bitcoin estiveram envolvidos em diferentes períodos de tempo e, portanto, os testes gerais de defesa, o nível de garantia de qualidade, a revisão das mudanças e a quantidade de testes subiram um degrau ao longo do tempo.

Fonte: AMBCrypto

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.