Bitcoin pode se tornar o ouro digital do século 21, afirma macro estrategista do Deutsche Bank

Enquanto o Bitcoin pode continuar crescendo para se tornar o “ouro digital”, Ethereum tem a capacidade de ser a “prata digital”, de acordo com Marion Laboure.

Bitcoin pode se tornar o ouro digital do século 21, afirma macro estrategista do Deutsche Bank, Marion Laboure. No entanto, ela espera que o preço da criptomoeda seja “ultravolátil” nos próximos anos.

Laboure também elogiou os casos de uso da Ethereum, rotulando o ativo como “prata digital“.

BTC – O Ouro do Futuro

Segundo Marion Laboure – Analista e Macroestrategista do Deutsche Bank – o Bitcoin possui todas as qualidades necessárias para intervir quando o mundo sofre com o aumento da inflação, dúvidas e medo devido à pandemia COVID-19 e às ações dos governos. Como seu suprimento é fixo (não haverá mais de 21 milhões de BTCs), ela afirmou que o ativo poderia ser uma escolha bem-sucedida como proteção contra a inflação crescente.

O aumento do controle das autoridades sobre a população poderia ser outro fator que tornaria o bitcoin atraente para o povo. Laboure lembrou que nesses casos, ao longo dos anos, a humanidade se voltou para ativos que não estavam sob jurisdição dos governos, como o ouro. Com isso dito, a executiva acredita que o BTC pode se tornar o “ouro digital do século 21”.

É importante notar que o Deutsche Bank teve uma opinião diferente sobre o assunto no passado recente. No ano passado, um relatório do banco de investimento multinacional alemão afirmou que a alta volatilidade do bitcoin é um obstáculo que torna o ativo digital uma “fonte confiável de valor”.

De acordo com Laboure, porém, as flutuações intensificadas do BTC não durariam para sempre. O ativo permanece “arriscado” no momento e pode ser “ultravolátil no futuro previsível”, mas assim como o ouro, que também passou por esse problema, o BTC acabaria por superá-lo.

Embora o bitcoin seja o pioneiro no espaço cripto e o maior ativo digital por capitalização de mercado, Laboure também elogiou os méritos de Ethereum. Ela destacou que é mais do que uma criptomoeda, pois oferece muitos aplicativos e casos de uso, como projetos de finanças descentralizadas (DeFi).

Na verdade, a maioria dos tokens não fungíveis (NFTs) da moda são parte do blockchain Ethereum e ela observou que o ETH poderia ser a “prata digital“.

Laboure concluiu que nenhuma outra criptomoeda se tornaria mais forte do que Bitcoin ou Ethereum nos próximos cinco anos.

Obstáculos da criptomoeda

A estrategista do Deutsche Bank também falou sobre as desvantagens do espaço das criptomoedas, sendo a falta de regulamentação a principal delas. Ela vê o setor muito mais resolvido quando o problema é resolvido. As preocupações ambientais que a mineração cripto causa são o outro grande obstáculo:

“Em um ano, o Bitcoin usa quase a mesma eletricidade que toda a população do Paquistão (cerca de 217 milhões de pessoas)”, ela lembrou.

Essa tem sido uma preocupação crescente este ano, mas o número de empresas e entidades com o objetivo de resolvê-la também aumentou exponencialmente. Por exemplo, várias exchanges de criptomoedas líderes já lançaram iniciativas que as tornariam neutras em carbono, incluindo FTX , BitMEX e Gemini .

CBDCs, dinheiro e criptoativos

Laboure também deu a ela dois centavos sobre as moedas digitais do banco central. Ela prefere criptomoedas descentralizadas, dizendo que a natureza centralizada dos CBDCs não seria atraente para a sociedade. Em qualquer caso, ela acredita que ambos os ativos, juntamente com o dinheiro, coexistiriam com sucesso na rede econômica.

Em outra nota, o CIO do Deutsche Bank, Christian Nolting, opinou de forma um pouco diferente sobre o assunto. Em maio, ele disse que o lançamento iminente de CBDCs seria uma grande ameaça para o bitcoin em termos de servir como moeda:

“Uma introdução generalizada de CBDCs acompanhada por maior regulamentação de criptomoedas poderia criar um ambiente mais desafiador para criptoativos, pois algumas de suas vantagens em comparação com ativos financeiros tradicionais desapareceriam no longo prazo.”

Fonte: CryptoPotato

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8