Bitcoin será regulamentado, ‘quer você goste ou não’, diz o CEO do JPMorgan

De acordo com Jamie Dimon, do JPM, o Bitcoin não tem “valor intrínseco” e os cães de guarda dos EUA precisam regulamentá-lo em breve.

Jamie Dimon reiterou sua postura negativa em relação ao bitcoin, dizendo que ele serve como o “ouro dos tolos do futuro“. Ele também opinou que toda a indústria de criptomoedas será inevitavelmente colocada sob uma estrutura regulatória.

Bitcoin não tem ‘valor intrínseco

O CEO do JPMorgan Chase & Co. – Jamie Dimon – é, sem dúvida, um crítico de criptomoedas. Durante uma entrevista recente para a HBO, ele deu seus motivos pelos quais é contra a classe de ativos.

Ele tocou no assunto quente sobre a proibição total da China à mineração e ao comércio de bitcoins. Dimon acredita que esse movimento provou que o BTC é ilegal. Como tal, as pessoas não devem considerá-lo como ouro digital:

“Sempre acreditei que seria ilegal em algum lugar como a China tornou ilegal, então acho que é um pouco de ouro de tolo.”

Com essa opinião sobre ouro e bitcoin, Dimon se opõe a vários outros nomes proeminentes que apoiaram a criptomoeda por causa de suas semelhanças com o metal amarelo, mas também por causa de algumas de suas vantagens.

Alguns deles incluem Michael Saylor, Steve Wozniak e Chamath Palihapitiya – todos os quais opinaram que o bitcoin é um ativo melhor do que o ouro por causa de seu conhecido limite máximo e presença digital.

O CEO do JPMorgan também pediu aos cães de guarda dos EUA que regulamentem o bitcoin, pois ele acredita que o principal uso do principal ativo digital é em atividades ilícitas:

“Sim … Se as pessoas estão usando para evasão fiscal, tráfico sexual e ransomware, vai ser regulamentado, goste você ou não. Portanto, não é uma declaração moral. É uma declaração factual. ”

Assim, Dimon se juntou à lista de pessoas que afirmam que o bitcoin é usado principalmente para transações ilegais. No entanto, essa crença não é precisa, pois vários relatórios afirmam que o dinheiro continua sendo o método de pagamento mais utilizado para os criminosos. Além disso, o blockchain do BTC é transparente, pois todas as transações são registradas nele.

JPMorgan saltou no trem da criptomoeda

Apesar da postura hostil em relação à criptomoeda por parte de seu CEO, o banco de investimentos multinacional JPMorgan Chase & Co. recentemente começou a fornecer serviços de ativos digitais a clientes.

No final de julho, Mary Callahan Erdoes – Diretora de Gestão de Ativos e Patrimônios da instituição – observou que a maioria dos usuários do banco vê o bitcoin como uma classe de ativos. Eles também mostraram uma demanda crescente por oportunidades relacionadas à criptoativos e o banco trabalharia nessa direção.

“Muitos de nossos clientes dizem: ‘Essa é uma classe de ativos e eu quero investir‘, e nosso trabalho é ajudá-los a colocar seu dinheiro onde desejam investir.”

Pouco depois, o maior banco da América permitiu que seus clientes institucionais acessassem seis fundos de criptomoeda. Um deles – um novo fundo bitcoin criado pela empresa de ativos digitais NYDIG – está disponível apenas para clientes de banco privado.

 

Fonte: CryptoPotato

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8