BWA afirma que vai pagar os clientes em junho deste ano

A empresa BWA, comunicou que pretende pagar seus clientes somente no meio de junho de 2020

Em comunicado enviado nesta quinta-feira (16) para seus clientes, a BWA afirmou que pretende pagar a dívida com os clientes até junho de 2020.

No anuncia a empresa declara que lançará uma nova plataforma, que rodará em um novo modelo chamado ‘AISA’, e que a mudança é necessário para atender o mercado que está cada vez mais complexo. 

Segundo o Cointelegraph, a plataforma AISA precisará de algumas semanas para que possa realizar suas operações e entregar um programa satisfatório para os clientes.

“A plataforma voltará a funcionar em 01/03/2020; Ao final dos meses, o acréscimo patrimonial se dará de acordo com a performance da nova tecnologia; Os clientes que desejarem poderão optar em receber a compensação a partir de junho de 2020;  Os clientes que possuírem mais de um produto terão seus saldos unificados”, destacou a empresa.

A empresa declara para os clientes que querem encerrar seu contrato, poderá encaminhar uma proposta para o e-mail “proposta@bwabrasil.com.br”, que será analisada e respondida o mais breve possível. 

“Ressaltamos mais uma vez que estamos trabalhando fortemente para que tudo seja reestabelecido o mais rápido possível. Nas próximas semanas encaminharemos novo comunicado após a unificação dos saldos e novas informações”, finaliza o comunicado.

A empresa está sendo acusada de pirâmide financeira e está com atrasos nos saques de clientes desde novembro de 2019.

Recentemente o presidente Paulo Bilibio e mais seis pessoas, incluindo seu filho Bruno Henrique Maida Bilibio, tiveram seus bens bloqueados pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. 

A BWA não possui autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para atuar no mercado financeiro e não notificou se já recebeu a autorização para ofertar novos produtos. 

A empresa atua no segmento de investimentos de Bitcoin e criptomoedas de forma fechada desde 2017, na cidade de Santos. Para se tornar membro, é necessário um depósito no valor mínimo de R$30mil. 

Foto de Mirian Romão
Foto de Mirian Romão O autor:

Graduada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e Pós-Graduada em Comunicação em Redes Sociais.

mirian_romao