CBN congela contas bancárias de nigerianos que operavam com criptomoedas

O regime de Buhari proibiu o comércio de criptomoedas por meio de contas bancárias nigerianas, com a desculpa de que estava sendo usado para lavagem de dinheiro e outros crimes financeiros.

De acordo com os meios de comunicação da Bloomberg, O Banco Central da Nigéria ordenou que todos os bancos comerciais nigerianos congelassem as contas de certos indivíduos, por supostamente negociarem criptomoedas.

JY Mammanand, diretor de supervisão bancária do CBN, assinou a circular que previa o fechamento imediato das contas pertencentes a uma empresa, TVS Hallmark Service limited, e duas pessoas físicas, Nnamdi Francis Okereke e Nwaorgu Kingsley Chibuzor.

O memorando da CBN também instruiu que os fundos detidos pelos dois indivíduos e pela entidade indiciada fossem colocados em “contas suspensas”.

Várias empresas de fintech também foram fechadas nos últimos meses, embora desta vez fosse por supostamente fornecerem serviços de gestão de ativos não registrados.

Em fevereiro, o banco central da Nigéria proibiu as instituições financeiras de fornecerem serviços para plataformas de negociações de criptomoedas. O banco central também pediu aos bancos comerciais que identificassem e fechassem contas vinculadas à atividade de negociação de bitcoins como parte do pedido.

Apesar das ações do banco central, o mercado de criptomoedas da Nigéria emergiu como um dos maiores da África, com o volume geral de transações de varejo do continente aumentando mais de 1.200% entre julho de 2020 e junho de 2021.

O extrato do banco de reserva estimulou várias respostas e confusão entre os residentes sobre, se eles ainda poderiam adquirir criptomoedas na Nigéria e participar de negócios que incluíssem criptoativos. Como resultado, isso fez com que as principais autoridades do banco de reserva esclarecessem que a instrução do CBN não era impedir que os indivíduos negociassem criptomoedas, no entanto, tais posses não precisam estar vinculadas ao setor bancário.

Além disso, o CBN está se preparando para introduzir a moeda digital do banco central do país, o eNaira, após a aprovação do Supremo Tribunal Federal da Nigéria em outubro. O eNaira está sendo comercializado como uma opção mais rápida, barata e segura para transações monetárias, mas continuará a circular junto com a moeda fiduciária da Nigéria.

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8