CEO da Binance e cofundador do The TIE se pronunciam sobre o caso dos falsos volumes apresentados pelas exchanges

Grandes nomes do mercado comentam o caso durante entrevista

Recentemente o WeBitcoin noticiou que uma pesquisa realizada pela plataforma The TIE apontava que 87% das exchanges do mercado provavelmente apresentam falsos volumes de negociação.

Posteriormente a Bitwise Asset Management publicou um relatório informando que 95% do volume apresentado pelas plataformas no CoinMarketCap (CMC) é falso, ao que o site acabou virando alvo de críticas e anunciou que implementaria novas métricas de avaliação.

Falando sobre o assunto durante uma entrevista ao site de notícias Cointelegraph, o cofundador do The TIE, Joshua Frank, afirmou que o objetivo da pesquisa era fornecer dados para um projeto interno para redefinir o feed de valores no site da plataforma, tendo a certeza de que estavam reportando valores de exchanges que realmente possuem liquidez. Desta forma, a equipe responsável optou por comparar o volume reportado com a quantidade de visitas recebidas nos sites das plataformas.

“E o que descobrimos rapidamente era que não fazia nenhum sentido. Então, por exemplo, algumas dessas exchanges para cada visualização reportavam US$50 em volume de trade, enquanto outras reportavam US$400 em volume de trade. E nós rapidamente pensamos: isso realmente não faz sentido, certo? Como pode uma exchange ter US$50 em volume para cada visita em seu site e outra ter US$400 em volume?”

Concluindo isso, a equipe disponibilizou os dados adquiridos no Google Drive para que as pessoas tivessem acesso e “tirassem as próprias conclusões”.

Presente na mesma entrevista, o CEO da exchange Binance, Changpeng Zhao (CZ), aproveitou a deixa para declarar que a situação (e a pesquisa do The TIE) mostram o quanto o volume declarado pela Binance é sólido e real, acrescentando que a indústria precisa de mais relatórios como este para promover mais transparência.

O CEO também falou sobre as críticas ao CoinMarketCap, afirmando que o site não possui “tanta culpa”.

“Não é tanto culpa do CoinMarketCap, todos tentaram culpá-lo. Mas o CoinMarketCap é um simples mecanismo de relatório onde as exchanges relatam seus próprios dados a eles e eles somente mostram.”

Falando sobre as críticas recebidas por não se posicionar quanto ao CMC no Twitter, CZ afirma que a Binance realmente possui um papel em toda a situação, mas não simpatiza com a forma como os internautas pensam que a plataforma deve se comportar, “especialmente se as pessoas pensam que deveríamos brigar com o CoinMarketCap no Twitter.”

“Isso não é o que fazemos.”, afirmou.

O CEO acrescenta ainda que a exchange trabalha próxima ao time do CoinMarketCap, de forma que sabe que todos estão engajados em encontrar um modo de resolver a situação. De acordo com ele, foi sugerido que as exchanges estejam sujeitas a um tipo de punição, podendo ser temporariamente retiradas da lista do CMC, por exemplo, caso alguma informação suspeita for identificada.

De acordo com a equipe do CoinMarketCap, a melhor saída é “oferecer dados em excesso e deixar que os usuários façam as próprias escolhas informadas sobre o que fazer” com isso, fornecendo mais controle sobre a experiência no site. A equipe acrescenta que está trabalhando na integração de mais informações para que os usuários possam avaliar as plataformas além do volume apresentado.

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli