CEO da Coinbase cita três pontos chave para que as criptomoedas atinjam adoção em massa

CEO de plataforma americana fala sobre a adoção do setor

Durante um AMA (ask-me-anything) realizado no dia 2 de abril, o CEO da exchange americana Coinbase Brian Armstrong afirmou que, para atingir adoção em massa, as criptomoedas dependem principalmente de usabilidade, volatilidade e escalabilidade.

Durante o AMA, o CEO respondeu perguntas selecionadas enviadas pela comunidade de cripto.

Abordando a primeira questão, sobre o potencial de adoção em massa dos ativos, Armstrong afirmou que uma moeda digital pode alcançar adoção em massa melhorando a escalabilidade e usabilidade, ao passo em que reduz a volatilidade.

De acordo com ele, no caso da volatilidade, se os mercados continuarem apresentando mudanças drásticas, será difícil atrair investidores tradicionais, de forma que a indústria precisa de valores mais estáveis, alcançados por stablecoins, por exemplo, somados a casos de uso para atrair a população.

O CEO acrescentou ainda que atualmente há 10 equipes trabalhando em soluções de escalabilidade, como a Lightning Network, para melhorar a velocidade das transações no mercado de cripto.

Graças a essas soluções, os ativos podem registrar de 500 a 5000 transações por segundo, funcionando da mesma forma que plataformas centralizadas (Visa e PayPal).

Continuando, Armstrong afirmou que a usabilidade também precisa ser melhorada, visto que atualmente existem muitos passos que um usuário precisa seguir para poder investir no setor. O CEO sugeriu que o investimento em criptomoedas deve ser mais simples para investidores de varejo, usando como exemplo o popular aplicativo chinês WeChat.

Brian também comentou sobre as críticas recentemente direcionadas à Coinbase pela comunidade, fazendo referência ao movimento #DeleteCoinbase. A campanha foi lançada no início de março como uma resposta à aquisição da Neutrino, administrada por ex-desenvolvedores de spyware.

Respondendo outra pergunta, o CEO afirma que ama o Bitcoin e deseja que ele seja bem-sucedido. Entretanto, ele lamenta ter tido muito envolvimento na promoção do ativo em 2013-2014, pensando que a moeda poderia se tornar uma rede de pagamento escalonável para todos.

“Eu subestimei completamente como essa ideia pode se tornar controversa na comunidade Bitcoin”, confessou.

Após ser acusado de adicionar valor à moeda, Armstrong mudou de ideia para ser agnóstico e apoiar a todas as moedas e protocolos de cripto. De acordo com ele, a Coinbase decidiu apoiar todos ao invés de escolher vencedores.

Anteriormente o CEO relatou repetidas vezes sua afeição pelo Bitcoin. Em comemoração aos 10 anos da moeda, por exemplo, Brian publicou uma série de tweets comemorativos nos quais alegava que o ativo era seu “primeiro amor”.

FONTE: COINTELEGRAPH