CEO da Ripple lamenta a falta de “igualdade de condições” nos Estados Unidos

Saída da Ripple dos Estados Unidos é dada como quase certa para 2021

Se a Ripple cair, o XRP ainda será negociado? Sim, disse o CEO Brad Garlinghouse recentemente, usando o sucesso da Litecoin depois que seu fundador se afastou do projeto. Durante um podcast recente, o executivo da Ripple afirmou que embora não pretenda se afastar da Ripple tão cedo, ele pode mudar a empresa para o exterior, pois acredita que a falta de clareza regulatória em torno de XRP nos Estados Unidos não é benéfica para a empresa.

De acordo com Garlinghouse, oito reguladores diferentes nos Estados Unidos dizem oito coisas diferentes sobre o XRP. Por exemplo, embora o FinCEN afirme que é uma moeda, o IRS o trata como uma propriedade. “Não se trata apenas de reter o XRP, mas também da indústria”, disse ele, acrescentando que:

“Precisamos estar em um campo de jogo equilibrado para competir com outros players”

As declarações do executivo são reveladoras porque estão em nítido contraste com a posição anterior do CEO com relação aos regulamentos. No ano passado, ele expressou preocupação de que os planos do Facebook de entrar no cripto-espaço com a Libra provocariam regulamentações mais severas em todo o setor. Na verdade, em uma carta aberta, a Ripple parecia estar do lado dos legisladores americanos também.

Embora suas preocupações anteriores estivessem centradas na possibilidade de que os reguladores “agrupassem todas as criptomoedas em um balde”, hoje, sua preocupação é que o XRP esteja sendo excluído da lista de reguladores de moedas digitais agrupadas.

Segundo ele, esta falta de clareza regulatória cria um ambiente em que ativos sem clareza apresentam um desempenho inferior, passando-se a notar que esta incerteza regulatória tem dificultado o progresso em algumas parcerias importantes, nomeadamente bancos.

O foco principal da Ripple são as soluções de pagamento internacional e os bancos são, sem dúvida, uma grande parte desse quadro.

No entanto, embora tenha havido algumas parcerias com bancos em todo o mundo, a maioria dos negócios da Ripple vem de parcerias com provedores de pagamento de pequeno e médio porte.

Isso é algo que Garlinghouse atribui ao fato de que grandes bancos ganham muito dinheiro por serem oligopólios de pagamentos internacionais, razão pela qual os players menores são os primeiros a adotar, são os mais agressivos e estão dispostos a assumir o maior risco.

Enquanto alguns como o cofundador da CoinMetrics, Nic Carter, sugeriram que o XRP nunca será usado por bancos, a equipe da Ripple acredita que é apenas uma questão de tempo que o XRP seja adotado como um ativo de ponte universal.

Fonte: AMBCrypto

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.