China seleciona cidades para testar o uso do Blockchain

Pequim e Xangai são as cidades mais cotadas pela China para efetuar testes em aplicativos rodando na rede Blockchain

Contra Capa 7 1

A China designou algumas cidades e entidades para testar aplicativos de Blockchain, ressaltando a importância que Pequim está atribuindo a essa tecnologia em particular, conforme divulgado por CNBC.

Em 2019, o presidente Xi Jinping pediu à China que “aproveite as oportunidades” apresentadas pelo Blockchain, dando seu apoio pessoal à tecnologia.

A capital chinesa Pequim e a megacidade Xangai, bem como Guangzhou, no sul, fazem parte dos projetos-piloto. Departamentos governamentais locais, universidades, Bancos, hospitais, empresas de automóveis e de energia estão entre as 164 entidades escolhidas pela China, para realizar aplicações de teste na rede Blockchain.

Blockchain originalmente é a tecnologia que sustenta as criptomoedas, como o Bitcoin. Resumidamente, podemos dizer que o Blockchain é um livro de atividades pública, inviolável e imutável. Também pode ser “descentralizado”, o que significa que não é administrado ou de propriedade de uma única entidade.

Mas a definição de Blockchain se ampliou à medida que muitas indústrias diferentes procuraram usar a tecnologia para uma variedade de aplicações. Outros nomes como “tecnologia de contabilidade distribuída” ou DLT agora são usados ​​com frequência e apresentam diferenças em relação ao Blockchain original do Bitcoin. Ainda assim, a ideia de um único registro autêntico de atividade é atraente.

O regulador do ciberespaço da China, juntamente com outros reguladores, emitiram um aviso no domingo, no qual pediram aos reguladores de nível provincial que “aproveitem plenamente o papel do Blockchain” em áreas como compartilhamento de dados, otimização de processos de negócios e redução de custos operacionais.

Conforme comunicado no aviso:

Todas as unidades piloto devem “dar prioridade à adoção de tecnologias de software e hardware Blockchain”.

O impulso do Blockchain na China, ocorreu depois que ela renovou uma repressão ao comércio e mineração de criptomoedas, no ano passado. Pequim vê o Bitcoin e outras moedas digitais há muito tempo como uma ameaça à estabilidade financeira.

Enquanto isso, o Banco Popular da China está avançando com o lançamento de uma versão digital do Yuan do país. No entanto, não é uma criptomoeda descentralizada como o Bitcoin, pois será controlado e emitido pelo Banco Central chinês.

Foto de Washington Leite
Foto de Washington Leite O autor:

Formado em Administração de Empresas, sou entusiasta da tecnologia e fascinado pelo mundo das criptomoedas, me aventuro no mundo do trade, sendo um eterno aluno.Bitcoin: The money of the future

WashingtonLeite_