China precisa de melhor regulamentação para que o blockchain cresça no país, afirmam especialistas

O crescimento do blockchain na China dependerá do corpo regulatório e da padronização de estruturas no país, segundo especialistas da indústria.

Leia mais: Hack de US$170 milhões da Bitgrail continua repercutindo

No Bo’Ao Forum for Asia deste ano, realizado na província de Hainan, na China, palestrantes incluindo Chen Lei, CEO da fornecedora de redes de nuvem Xunlei, e Li Lihui, que chefia o Grupo de Pesquisa de Blockchain na Associação Nacional de Internet das Finanças da China (NIFA), discutiram os últimos desenvolvimentos do país nesta área tecnológica, bem como os futuros prospectos desta tecnologia.

Embora 2017 tenha visto um número de projetos envolvendo blockchain de companhias tecnológicas do país, especialistas no painel argumentaram que, mais adiante, uma estrutura regulatória se tornará o fator mais importante para o crescimento desta tecnologia.

Neste sentido, Li, que também é ex-presidente do Banco da China, um dos quatro bancos estatais do país, afirmou que desenvolver uma estrutura regulatória para o uso de blockchain será uma das prioridades da NIFA em 2018.

Lançada em 2015 pelo Banco Popular da China, e aprovada pelo Conselho Estatal, a NIFA é uma entidade auto regulatória cujo objetivo é assegurar o desenvolvimento salubre da tecnologia financeira do país.

Além de focar no desenvolvimento de blockchain, a NIFA também avaliou a indústria das criptomoedas, emitindo avisos sobre os riscos associados com ofertas iniciais de moedas (ICO).

Leia mais: Japão conta com mais de 3 milhões de traders

Imagem do Bo Ao Forum for Asia

Li afirmou no painel:

“Embora o desenvolvimento do blockchain tenha progredido no ano passado na China, por meio de plataformas de blockchain lançadas por gigantes da internet como Baidu e Tencent, nossa iniciativa regulatória está atrasada.”

Segundo Li, sua organização está visando padronizar uma estrutura para o uso de blockchain, além de estabelecer uma entidade terceirizada para certificar as inovações sobre a tecnologia.

“Isso demanda nossa atenção imediata,” ele declarou, argumentando posteriormente que esta direção também facilitará atrair e recrutar talentos especializados em blockchain.

Sobre o mesmo assunto, Chen Lei, CEO da Xunlei, afirmou:

“Habilidades tecnológicas nunca são vistas como obstáculos, tendo em vista que a demanda do mercado continuará instigando nossa imaginação.”

Xunlei notadamente adentrou a esfera das criptomoedas no início desta ano, permitindo que usuários ganhassem tokens ao compartilharem suas bandas de internet.

Ele concluiu:

“O que nós precisamos no futuro são diretrizes regulatórias claras, para que toda a indústria as sigam.”

Leia mais: Empresa tenta fraudar e se beneficiar da ICO bilionária do Telegram

Fonte: CoinDesk