Circle se une a órgão finaceiro para desenvolver “Código de Conduta” global para criptomoedas

O objetivo é fazer com que ativos digitais funcionem de modo perfeito através de fronteiras

A Circle recentemente se uniu ao Global Digital Finance (GDF) para desenvolver um “Código de Conduta” global para criptomoedas.

A parceria foi confirmada no twitter da empresa. De acordo com o post, a iniciativa pretende acelerar a adoção dos ativos.

O grupo supostamente conta com outras empresas de renome, como Coinbase, ConsenSys, Diginex, entre outros.

O GDF já divulgou o Código de Conduta e Taxonomia para Ativos Criptográficos após a aprovação de uma série de mini cúpulas. O Código também passou por 60 dias de consulta com distribuição em mais de 200 empresas internacionais de criptomoedas e da comunidade.

Leia mais: Companhia de software Blockchain adquire empresa de mineração de asteróides

O Código de Conduta consistirá no início de um “conjunto de regras compartilhadas” relacionadas à manipulação de capital, gerenciamento de risco, práticas de mercado, etc.

De acordo com Lawrence Wintermeyer, cofundador da GDF, o órgão busca construir um modelo global de autorregulação para a indústria de criptomoedas, visando fazer com que “ativos digitais funcionem de modo perfeito através de fronteiras, o que desafia os modelos atuais”.

As empresas podem realizar o registro com o GDF como código de conformidade no início de 2019. Segundo o órgão, um sistema de registro ainda está sendo desenvolvido.

Leia mais: Rússia cria Conselho para tratar de assuntos relacionados a criptoativos

FONTE: COINTELEGRAPH

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli