Clube de baseball australiano vai usar Bitcoin como meio de pagamento para os atletas

A novidade também inclui outros funcionários da equipe.

Perth Heat, clube australiano de baseball, anunciou parceria com a OpenNode, que trabalha com pagamentos em Bitcoin por meio da Lightning Network, tecnologia inovadora que realiza transferências em questão de instantes, com taxas beirando a zero.

Com isso, será possível pagar atletas e outros membros da equipe do clube de maneira rápida, simplificada e segura.

A utilização da OpenNode para fazer pagamentos à equipe também garante ao clube a possibilidade de receber fundos em Bitcoin de patrocinadores, revendedores de produtos personalizados e tantos outros cenários.

HODL

Segundo informações oficiais, o clube alega que esta é a primeira vez no mundo em que um clube abraça totalmente as criptomoedas. O objetivo dos entusiastas é garantir que, num futuro não muito distante, torcedores possam pagar suas entradas e seu consumo dentro dos estádios por meio de ativos digitais.

“Nós sabemos que a comunidade olha para o Heat como um modelo de sucesso; esperamos que a adoção do Bitcoin como modelo padrão vai inspirar outros a abraçar o modelo monetário que exige criação de valor para prosperar”, disse Steven Nelkovski, CEO do Perth Heat.

Por fim, Nelkovski afirma que toda a equipe está engajada com a iniciativa e entende sobre os benefícios em receber Bitcoin como pagamento por seus trabalhos.

Além disso, o clube também informou que vai guardar BTC em sua carteira para aproveitar sua valorização futura.

Poder de escolha

Por se tratar de uma economia descentralizada, na qual os usuários têm total autonomia para escolher seus ativos digitais preferidos, não faria sentido tornar sua aceitação obrigatória. Felizmente, os pagamentos em criptomoeda não são mandatórios.

Se o membro da equipe não se sente confortável – pelo menos ainda – em receber dessa forma, pode pedir seu salário em moeda fiduciária.

Foto de Rafael Motta
Foto de Rafael Motta O autor:

Jornalista, trader e entusiasta de tecnologia desde a mais tenra juventude. Foi editor-chefe da revista internacional 21CRYPTOS e fundador da Escola do Bitcoin, primeira iniciativa educacional 100% ao vivo para o mercado descentralizado. Foi palestrante na BlockCrypto Conference, em 2018.