Comitê de Arbitragem testa plataforma Blockchain para disputas legais na China

Uso da tecnologia pode reduzir custos e tornar o processo mais eficiente

De acordo com um anúncio oficial do Comitê de Arbitragem de Nanjing, uma nova plataforma blockchain está em fase de teste para processar dados de disputas legais.

Criados em 1995, os Comitês Regionais de Arbitragem da China funcionam como organizações independentes sem fins lucrativos, oferecendo serviços de arbitragem e mediação, entre outros mecanismos de resolução de disputas.

Leia mais: Baidu publica o white paper de seu novo projeto, a Super Chain

Segundo o anúncio, a plataforma “faz uso extensivo do blockchain, e coexiste com instituições depositárias, financeiras e de arbitragem para depositar dados eletrônicos (e permitir) a preservação de evidências em tempo real, entrega eletrônica e testes online“.

O Comitê declarou formular uma regra especial de arbitragem de rede inserida no sistema que estabelecerá um prazo de 30 dias para resolução dos casos de arbitragem online.

Esse padrão é relativamente mais curto que o período de testes online existentes e “significativamente mais baixo” que o padrão para casos off-line.

O novo sistema também promete reduzir os custos de arbitragem para todas as partes envolvidas, proporcionando um método de resolução mais conveniente e eficiente.

No início deste mês a Suprema Corte chinesa declarou que provas autenticadas pelo blockchain são obrigatórias em disputas legais. A decisão entrou em vigor logo após a declaração.

Leia mais: Banco Central da Mongólia concede permissão oficial para utilização da primeira criptomoeda nacional

FONTE: COINTELEGRAPH

Foto de Washington Leite
Foto de Washington Leite O autor:

Formado em Administração de Empresas, sou entusiasta da tecnologia e fascinado pelo mundo das criptomoedas, me aventuro no mundo do trade, sendo um eterno aluno.Bitcoin: The money of the future

WashingtonLeite_