Como as criptomoedas estão revolucionando o comércio colombiano

Documentário mostra a evolução da Dash na América do Sul

Ao longo dos últimos meses a Colômbia tem se destacado no mercado de criptomoedas sul-americano. Com uma política favorável ao setor, atualmente o país oferece a isenção de impostos a startups de cripto, se tornando ainda um atrativo para ATMs de Bitcoin.

Explorando o assunto, recentemente o canal Dash Dinheiro Digital publicou um documentário abordando a adoção de pagamentos em moedas digitais na Colômbia, focando em casos onde o token DASH é utilizado.

Como informa o documentário, atualmente há cerca de 650 estabelecimentos que aceitam Dash no país, que ocupa a segunda posição em relação ao uso da moeda na América Latina, perdendo apenas para a Venezuela.

Atualmente, muitos venezuelanos atravessam a fronteira da Colômbia em busca de melhores condições de trabalho, visando enviar fundos aos familiares que permaneceram no país de origem. Para tal fim, as criptomoedas se tornaram muito populares, com destaque para a Dash, que se tornou uma boa opção pelas baixas taxas e rápido envio.

Apesar de estar em primeiro lugar, a Venezuela apresenta certa dificuldade em relação ao pagamento, com casos onde os funcionários não tinham acesso ao dispositivo que continha a carteira (ficando a posse somente com o patrão), situações onde o cliente deveria entregar seu celular para que determinado funcionário digitalizasse o QR code da transação, ou até mesmo estabelecimentos que imprimiam o código de suas carteiras e deixavam à mostra ao longo do dia, o que permite que indivíduos externos possam visualizar a quantidade de ativos detidos pelo local.

Visto que tal problema também atinge outras localidades, recentemente foi introduzida no mercado a EletroPay, solução que consiste no fornecimento de terminais PoS para o recebimento de pagamentos eletrônicos, com suporte para criptomoedas.

Com o dispositivo, que atua como uma pequena plataforma de balcão, os clientes podem utilizar seus smartphones para a leitura do QR code.

WeBitcoin: Como as criptomoedas estão revolucionando o comércio colombiano

A solução foi noticiada em março pelo WeBitcoin, época na qual Saint Clair Izidoro, CEO da 3xbit, assumiu o papel de CEO da EletroPay na América Latina.

O dispositivo foi apresentado a diversos comerciantes colombianos, que prontamente aprovaram a ideia, mostrando grande interesse em integrar a solução ao seu sistema de pagamento.

Atualmente a equipe da Dash realiza um trabalho de captação na Colômbia, indo de porta em porta e realizando diversas reuniões e meetups para apresentar o novo meio de pagamento aos comerciantes. Tal iniciativa acarretou em um crescimento de mais de 65.000% no número de estabelecimentos que aceitam Dash em aproximadamente 12 meses.

Para alavancar a adoção, a Dash Colômbia ainda realiza um pequeno airdrop para os estabelecimentos que integram a solução, promovendo também airdrops de frações para que os investidores façam uso do ativo no comércio.

Ao final do documentário, é destacado que atualmente a Dash Colômbia está em conversas avançadas com a equipe do KRIP, primeiro smartphone pré-carregado com DASH, visando implementar o sistema a baixo custo no país. O dispositivo é vendido a um valor de varejo de menos de US$100, sendo que mais de 66 mil unidades já foram vendidas na Venezuela.

Anteriormente o WeBitcoin noticiou que o Telegram viabilizou suporte para a solução Dash Text na Colômbia e Venezuela.

O serviço, que inicialmente foi idealizado com o objetivo de possibilitar o envio, recebimento e consulta de balanços da criptomoeda através de mensagens (SMS) sem a necessidade de internet, agora pode ser utilizado por ainda mais indivíduos.

Veja o documentário completo abaixo.

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli