Como as criptomoedas podem mudar a maneira de viajar

As taxas de câmbio serão afetadas nos próximos anos por conta das criptomoedas?

Com o Bitcoin, a blockchain e as outras criptomoedas se tornando cada vez mais populares em todo o mundo, não é surpresa que isso pode influenciar, em breve, a maneira como viajamos. 

Para muitos pode parecer confuso, especialmente aqueles que lidaram com moedas físicas por toda a vida, mas a criptomoeda e a blockchain abrem muito mais fronteiras e oportunidades, e podem permitir viagens entre países com bem menos problemas. 

Não será necessário utilizar cédulas, embora o dinheiro esteja se tornando menos comum em geral, devido à introdução de métodos de pagamentos sem contato como os cartões de crédito, os smartphones e a possibilidade de transferir dinheiro eletronicamente. 

A criptomoeda não precisa ser convertida para a moeda local quando se viaja para um país diferente, pode ser usada por qualquer pessoa e por todos e até mesmo sem as taxas incômodas que as moedas costumam ter. 

A criptomoeda também pode ajudar as empresas com suas contas, pois todas as transações são registradas no ledger, não importa quão pequeno seja o pagamento. 

Assim como os pontos acima mencionados sobre a moeda digital, a criptomoeda também é descentralizada, o que significa que a moeda não é controlada por um governo central. 

O que permite acesso global sem restrições e os usuários podem se beneficiar muito ao poder se afastar dos laços do dinheiro centralizado. Além disso, a blockchain está sendo usada para criar dApps, que são basicamente aplicativos descentralizados. 

Isso tira a capacidade de grandes empresas como Google e Facebook poderem pegar seus dados pessoais e armazená-los para seu próprio uso, proporcionando muito mais segurança para cada pessoa. 

A uma expansão na questão da segurança, por conta do recente aumento de hackers na web, que estão roubando com mais frequência a cada dia, levando a milhões de casos de roubo de identidade globalmente.

Somente em 2016, foi relatado que 15,4 milhões de pessoas foram vítimas disso em várias plataformas. Os turistas foram os principais afetados, pois muitos lugares como hotéis e cafés, têm acesso aberto à internet, criando as oportunidades perfeitas para os hackers aparecerem e roubarem seus dados com facilidade. 

A blockchain, no entanto, pode fornecer benefícios e segurança, devido à sua descentralização e não estar conectada a um servidor central onde todos os seus dados estão armazenados. 

Se você mantiver sua senha segura e não compartilhar com ninguém, você vai estar totalmente seguro, mas lembre-se, você não pode redefinir sua senha. 

A criptomoeda também pode trazer voos mais baratos. Como não há comissão ou taxas envolvidas com essas moedas, os voos em um futuro próximo devem ser muito mais baratos se comprados com Bitcoin e outras moedas digitais. 

Em 2014, a Expedia começou a aceitar o Bitcoin para pagar voos, eles se tornaram os primeiros no setor de aviação a aceitar a criptomoeda. Entretanto, a empresa parou de aceitar o Bitcoin em 2018.

Contudo, a CheapAir vendeu mais de 5 milhões de voos usando o Bitcoin e esse número continua aumentando.

Todos sabemos que o mercado de criptomoeda é incrivelmente volátil, o que significa que pode ser um risco enorme para as empresas aceitarem essas moedas como pagamento, mas a maneira como as coisas estão acontecendo, sugere que mais pessoas irão reservar voos com Bitcoin e outras altcoins.

Os próximos anos podem ser extremamente positivo para viagens com criptomoedas, e parece uma situação muito positiva para todos os envolvidos.

Imagem Rawpixel por Freepik.
Fonte: CryptoDaily

Foto de Mirian Romão
Foto de Mirian Romão O autor:

Graduada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e Pós-Graduada em Comunicação em Redes Sociais.

mirian_romao