Copresidente do JPMorgan admite que a demanda por Bitcoin chegará “em algum momento”

Que tipo de demanda por Bitcoin seria suficiente para o JPMorgan?

Em uma conversa com a CNBC sobre Bitcoin, o co-presidente do JPMorgan Daniel Pinto disse que a demanda por Bitcoin chegará “em algum momento”. Embora a mensagem pareça ostensivamente otimista, Pinto está insinuando que a demanda por Bitcoin ainda não chegou.

O preço do Bitcoin aumentou quase cinco vezes desde outubro, em apenas quatro meses. No processo, o volume nas exchanges centralizadas explodiu, enquanto plataformas institucionais e veículos como o mercado futuro de Bitcoin da CME e o Bitcoin Trust da Grayscale registraram volume recorde.

Ainda assim, Pinto observou que a demanda por Bitcoin não está “lá ainda”, sugerindo que teria que crescer mais para ter grandes bancos de investimento, como o JPMorgan, para se envolver. Ele disse:

“Se ao longo do tempo se desenvolver uma classe de ativos que será usada por diferentes gestores de ativos e investidores, teremos que estar envolvidos. A demanda ainda não existe, mas tenho certeza de que existirá em algum momento.”

Mas, o ponto em que gestores de ativos e bancos de investimento considerariam tratar criptomoedas parece estar se aproximando.

Por exemplo, em 11 de fevereiro, Roman Regelman, CEO de serviços de ativos e chefe digital do BNY Mellon, disse que o banco em breve ofereceria serviços de Bitcoin.

Em comunicado obtido pela CNBC, Regelman disse:

“O BNY Mellon tem o orgulho de ser o primeiro banco global a anunciar planos para fornecer um serviço integrado para ativos digitais. A crescente demanda de clientes por ativos digitais, a maturidade de soluções avançadas e a melhoria da clareza regulatória apresentam uma tremenda oportunidade para estendermos nossas ofertas de serviço atuais a este campo emergente.”

Antes da decisão surpreendente do BNY Mellon de facilitar ativos cripto, a Mastercard, gigante dos pagamentos com cartão de crédito, disse que permitiria que seus clientes usassem certas criptomoedas no futuro.

Embora nem todos os bancos, instituições e empresas financeiras possam encontrar criptomoedas como uma classe de ativos estabelecida neste momento, existem muitos conglomerados financeiros que o fazem.

Portanto, do ponto de vista da adoção convencional, a melhoria contínua no apetite para servir e facilitar os serviços relacionados à criptomoedas é altamente positiva.

Isso está impactando o preço do BTC?

Nos últimos dois dias, quase assim que as notícias da Mastercard e do BNY Mellon foram divulgadas, o Bitcoin se recuperou fortemente para um novo recorde histórico.

bitcoin

Gráfico de preços de 15 minutos do Bitcoin. Fonte: BTC/USD em TradingView.com

 

A positividade em torno das empresas financeiras tradicionais que apoiam as criptomoedas está claramente aumentando o sentimento do mercado em torno do BTC e dos ativos cripto em geral.

Se a tendência das empresas públicas de acumular Bitcoin ou apoiar a criptomoeda dominante continuar, provavelmente aumentaria o preço do BTC para além das principais áreas de resistência.

Antes de a notícia do BNY Mellon estourar, o BTC estava estagnado abaixo de $ 44.000, lutando para subir.

O Bitcoin, atualmente classificado em primeiro lugar por valor de mercado, caiu 0,95% nas últimas 24 horas. O BTC tem uma capitalização de mercado de $ 886,53 bilhões, com um volume de 24 horas de $ 83,39 bilhões.

Fonte: CryptoSlate

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.