Coreia do Sul pretende inserir tecnologia blockchain no setor público

Ministério da Ciência Coreano pretende expandir a rede blockchain no país, com foco principal no setor público

É fato conhecido que a Coreia do Sul simpatiza com a tecnologia blockchain e o movimento das criptomoedas. Várias iniciativas foram tomadas para inserir o país no contexto destas inovações tecnológicas.

Recentemente a KISA,  Agência de Internet e Segurança da Coreia, anunciou planos que revitalizarão o mercado interno de blockchain. Aparentemente, a ideia é proporcionar a expansão de projetos-piloto vinculados aos setores sociais.

Leia mais: Empresa lança ICO e dá golpe na Coreia do Sul

O orçamento para o estipulado é de aproximadamente US$ 9 milhões. O dinheiro será utilizado para distribuir projetos da rede blockchain nos setores público e privado.

O Ministério da Ciência Coreano recebeu ao longo deste ano, cerca de 70 solicitações de projetos de mais de 40 instituições distintas. Destes, 6 projetos foram selecionados para se desenvolver no setor público. Durante os últimos 9 meses o governo coreano investiu aproximadamente US$3,8 milhões em projetos relacionados à tecnologia.

Como previsão para o próximo ano, o Ministério pretende dobrar os projetos da rede pública, desenvolvendo também 3 ou 4 projetos privados.

O objetivo do setor público é desempenhar um papel ativo na revitalização da indústria, atuando como uma cartilha (…). Nós planejamos ganhar mais dinheiro para projetos de obras públicas“, declarou Min Kyuung-sik, chefe do setor de blockchain da KISA.

Alguns meses atrás, as exchanges eram classificadas como companhias de risco na legislação sul coreana.  E agosto, o governo retirou essa possibilidade. Atualmente, o país conta com uma agência denominada Blockchain Law Society, que desenvolve uma estrutura legal para aplicações em tecnologia de contabilidade distribuída. A agência explora possibilidades de aplicação tecnológica nos diversos setores sociais.

Leia mais: Cidade japonesa testa sistema de votação baseado em blockchain

FONTE: COINTELEGRAPH