Credores da Mt.Gox tiveram acesso ao plano de reembolso proposto no fim de 2020

Plano para pagamento dos 150.000 Bitcoins roubados foi apresentado em dezembro de 2020

Antes de mais nada é importante entendermos que a minuta do plano de reembolso para os clientes da Mt.Gox não é pública, em parte porque ainda está em análise pelo juiz e também porque ainda não se sabe se será aprovada ou não.

O primeiro ponto que podemos abordar se trata de que é necessário referir que não há qualquer data para o início dos pagamentos de reembolso. A minuta que os clientes tiveram acesso descreve o plano de reembolso, mas sem datas, visto que estas também dependem das decisões do juiz. O que se sabe, porém, é que o cronograma de amortização se divide em duas fases.

As duas fases do plano de reembolso da Mt.Gox

Durante a primeira fase, os pagamentos prioritários serão feitos em moeda fiduciária, até um equivalente máximo de 200.000 ienes por credor. Na segunda fase, os valores pagos durante a primeira fase serão deduzidos do total de ativos à disposição do administrador da insolvência, e o restante será distribuído aos credores que ainda têm direito ao reembolso.

Esta segunda fase, por sua vez, será dividida em duas subfases. Portanto, um prazo relativamente longo, e certamente não imediato, pode ser esperado a partir do momento em que o juiz aprovar o plano e permitir o prosseguimento dos pagamentos. Um fato interessante é que os credores terão a opção de serem pagos antecipadamente, em moeda fiduciária, ou posteriormente, em BTC e BCH.

Uma vez que os fundos disponíveis para o último serão iguais aos restantes após o pagamento do primeiro, é provável que os credores fiquem em melhor situação se escolherem ser pagos em moeda fiduciária agora, em vez de esperar para serem pagos posteriormente em criptomoeda.

Isso também significa que o administrador da insolvência, dependendo das demandas dos credores, pode ter que vender BTC e BCH no mercado a fim de cobrar moedas fiduciárias com as quais pagar os credores que escolheram moedas fiduciárias como método de cobrança.

Dependendo de quantos credores escolherem este método, o liquidante será forçado a vender o BTC e o BCH mais ou menos rapidamente no mercado aberto. No entanto, deve ser especificado que se trata apenas de uma minuta do plano apresentado ao juiz, e se o juiz o rejeitar, deverá ser emendado.

Fonte: Cryptonomist

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.