Criadores do Ethereum tomam decisão que poderia afetar a inflação da moeda

Após debater sobre o assunto, foi decidido atrasar o ajuste de dificuldade do Ethereum, previsto para o início do próximo ano

Com o hard fork Constantinople programado para outubro e um ajuste de dificuldade previsto para 2019, a equipe por trás do desenvolvimento do Ethereum enfrentava um dilema: tentar concluir o hard fork antes do início do ano, correndo o risco de impulsionar a moeda para uma “era do gelo”; ou atrasar o ajuste de dificuldade, comprometendo a inflação da criptomoeda.

Leia mais:Ethereum corre contra o tempo para evitar “Era do Gelo”

Diante de dois cenários complexos, a equipe optou pelo atraso do ajuste. Essa decisão poderia afetar a inflação da moeda, visto que o ajuste aumenta o período de mineração de cada bloco.

Isso significa que a criptomoeda continuaria a ser minerada no mesmo ritmo atual, sendo de 3 ETH por bloco.

Para evitar essa situação, os criadores da moeda decidiram implementar o EIP-1234, que funcionaria como uma nova versão da atualização de melhoria do Ethereum, tendo como uma de suas finalidades reduzir a quantidade de 3 ETH para 2 ETH produzidos por bloco.

Leia mais: BTC.com lança mining pool de Ethereum

O ajuste de dificuldade sofrerá um atraso de aproximadamente 12 meses, e após um breve debate, houve um consenso de que outro hard fork será realizado 8 meses após o Constantinople.

FONTE: CCN