Crimeia considera criar rede Blockchain para que investidores entrangeiros possam atuar anonimamente em países sancionados

O país pensa em abrir um centro educacional para trabalhar a tecnologia para evitar sanções

De acordo com a agência de notícias TASS, a República Autônoma da Crimeia está considerando criar um cluster blockchain para apoiar plataformas de investimento para que investidores estrangeiros trabalhassem em países sancionados de forma anônima.

Um cluster, “aglomerado” em inglês, nada mais é que um sistema capaz combinar vários computadores para trabalharem em conjunto.

Nesta semana, Georgy Muradov, Representante Permanente da República da Crimeia, revelou que as autoridades estão considerando a possibilidade de criar um “bloco blockchain” separado para fundos para capitais de risco.

Em 16 de novembro, o presidente da Associação Republicana da Blockchain Technologies Investment, Roman Kulachenko, declarou que a república poderia abrir um novo centro educacional internacional para trabalhar a tecnologia como modo de evitar sanções.

De acordo com ele, o centro permitiria a formação de especialistas de diversos países.

“Há vários estados que, assim como a Crimeia, estão sujeitos a sanções (…). Possuímos os mesmo problemas. O novo centro irá permitir que combinemos esforços para resolver a situação.”

Recentemente o WeBitcoin noticiou que a Coréia do Norte  e o Irã foram acusados de utilizar criptomoedas para escapar das sanções americanas.

FONTE: COINTELEGRAPH