Criptomoedas serão negociadas no maior Banco da Coreia do Sul

Criptomoedas será ofertada para investidores de varejo no maior Banco da Coreia do Sul em forma de fundo de investimentos

Banco

O Kookmin Bank da Coréia do Sul anunciou em 21 de fevereiro que formou um Comitê Preparatório de Gerenciamento de Ativos Digitais que analisará a criação de um ETF de criptomoeda para investidores de varejo.

O comitê operará sob a Divisão de Gerenciamento de Índice Quant da KB Asset Management do Banco.

O credor também pretende lançar um fundo de ações de ativos digitais, de acordo com Hong-gon Kim, chefe da Divisão de Gerenciamento de Índice Quant da KB Asset Management.

Vamos lançar um fundo de ações com tema de ativos virtuais e entre outros, o mais rápido possível. Também publicaremos periódicos.

Linha do tempo

O Comitê realizará inicialmente pesquisas nos mercados de ativos digitais nacionais e estrangeiros. Também trabalhará no desenvolvimento de uma estratégia de investimento baseada em IA para lançamentos de produtos de ativos digitais.

A KB pretende lançar os novos produtos o mais rápido possível, considerando a velocidade de adoção em todo o mundo, mas deve garantir que seus produtos estejam em conformidade com os regulamentos relevantes.

A KB disse em seu comunicado que seus concorrentes globais já mergulharam nos mercados de ativos virtuais e pretende seguir o exemplo.

Adoção crescente nas finanças tradicionais

O Kookmin Bank é a segunda instituição financeira asiática em poucas semanas a anunciar tal movimento. Na semana passada, o DBS Bank de Cingapura disse que pretende oferecer aos investidores de varejo a capacidade de negociar ativos digitais até o final de 2022.

O credor de Cingapura tem sido pioneiro nos mercados financeiros asiáticos quando se trata de adoção de ativos digitais. O Banco lançou uma Exchange como piloto em 2021 para permitir que instituições de crédito negociem criptos.

No entanto, os mercados asiáticos estão ficando para trás em relação aos seus homólogos ocidentais. Os Bancos de Wallstreet começaram a oferecer a seus clientes mais ricos a capacidade de investir em criptomoedas, enquanto alguns dos maiores gestores de ativos do mundo estão oferecendo a seus clientes a opção de investir em fundos de ativos digitais.

Atualmente, a Grayscale tem mais de US$ 43 bilhões em ativos digitais sob gestão. A Fidelity Asset Management lançou recentemente um ETF Bitcoin e um fundo mútuo no Canadá.

A Amundi, com sede na França, que é a maior gestora de ativos da Europa, anunciou recentemente que investirá em NFTs . A gigante da contabilidade KPMG Canada também investiu em ativos digitais.

Foto de Washington Leite
Foto de Washington Leite O autor:

Formado em Administração de Empresas, sou entusiasta da tecnologia e fascinado pelo mundo das criptomoedas, me aventuro no mundo do trade, sendo um eterno aluno.Bitcoin: The money of the future

WashingtonLeite_