100 mil cubanos utilizam criptomoedas para driblar sanções financeiras

cubanos

Devido a proibição de usar certos meios de pagamentos por causa das sanções impostas a Cuba pelos E.U.A, cubanos recorrem as criptomoedas

A NBC publicou uma reportagem em vídeo que indica que cerca de 100.000 cubanos estão usando moedas digitais como Bitcoin. Por exemplo, um proprietário de um café cubano em particular, Nelson Rodriguez, que aceita Bitcoin e Ethereum, foi entrevistado pela equipe de notícias da NBC. Ele explicou que “acredita na filosofia” por trás dos ativos criptos. Enquanto mostra uma série de carros antigos ainda dirigidos por cubanos hoje, o repórter da NBC diz ainda que os cubanos estão abraçando o futuro.

100 mil cubanos usando cripto ativos se devem em grande parte ao aumento do desempenho da Internet durante os últimos três anos, afirma o relatório. Outro empresário cubano entrevistado pela NBC discutiu como empresas de pagamento específicas como Paypal, Revolut e Zelle foram proibidas em Cuba. “Nós dizemos até logo, [e] não precisamos mais de você”, comenta o empresário cubano Erich Garcia no vídeo, explicando ainda como as criptos podem ajudar a contornar o sistema financeiro tradicional. Garcia acrescentou:

Usarei criptomoedas para expandir meus negócios.

Economista diz: ‘Se os cubanos puderem usar um canal de pagamento separado, isso seria interessante’

O relatório da NBC também discutiu o Banco Central de Cuba aprovando criptomoedas e fornecendo diretrizes de licenciamento para provedores de serviços de ativos virtuais (VASPs). Os regulamentos que o governo cubano avançou no decreto número 89/2022 explica que instituições financeiras conhecidas como Deutsche Bank e JPMorgan foram multadas por fornecer serviços de pagamento a Cuba.

A Dra. Emily Morris, economista da University College London, detalha ao repórter da NBC por meio de entrevista em vídeo que ela não está nem um pouco surpresa que os cubanos estejam olhando para essa tecnologia. Morris explicou os benefícios das transações ponto a ponto sem a necessidade de uma instituição financeira. Se eles puderem usar um “canal [de pagamento] separado, isso seria interessante”, concluiu Morris.

O repórter também conversou com um músico chamado Ernesto Cisneros que disse que sua renda foi reduzida por causa da pandemia de Covid-19. O músico cubano Cisneros então se voltou para a tecnologia de token não fungível (NFT), e transformou sua música em NFTs e as vende online. No final do vídeo, o empresário cubano Garcia insiste que o uso de pagamentos criptos não pode ser bloqueado aos cubanos, e “isso é um fato”, ressaltou.

Foto de Washington Leite
Foto de Washington Leite O autor:

Formado em Administração de Empresas, sou entusiasta da tecnologia e fascinado pelo mundo das criptomoedas, me aventuro no mundo do trade, sendo um eterno aluno. Bitcoin: The money of the future

WashingtonLeite_