De maio a junho: análise técnica mensal do Bitcoin

O que esperar do BTC para o mês que está por vir?

O Bitcoin teve um maio movimentado: um halving em 11 de maio, uma quebra acima de US$ 10.000 e o movimento dos Bitcoins extraídos em 2009, causando uma queda de quase 15% nos preços.

Os touros, contudo, subiram de um novo teste de US$ 8.100 para chegar novamente perto de US$ 10 mil. Até o momento, o Bitcoin está tentando ultrapassar US$ 9.500 para um novo teste de preços com resistências em torno de US$ 9.800.

bitcoin

Gráfico de preços do Bitcoin de maio 2020/Coin360

 

O halving do Bitcoin foi um evento altamente antecipado, principalmente pela redução nas recompensas de bloco e seu potencial efeito ascendente no preço. Mas a principal criptomoeda viu seu valor falhar após o halving. O que se viu foi um declínio na taxa de hash, à medida que os mineradores mudavam para as redes rivais Bitcoin Cash e Bitcoin SV.

Para onde vai o Bitcoin daqui?

Analistas apontaram que um fechamento mensal em torno de 31 de agosto de 2019 pode ser um indicador importante sobre a direção do mercado de criptomoedas no médio prazo.

O mercado visava um fechamento acima de US$ 9.000 para manter os níveis de suporte em US$ 8.750 intactos. Fundamentalmente, a criptomoeda manteve o candle acima de US$ 9.400, para marcar a primeira vez desde agosto de 2019 que o índice mensal de preços do Bitcoin fechou acima de US$ 9.360.

As rejeições de preço de US$ 9.360 no fechamento mensal, no passado, viram a criptomoeda mergulhar em novos mínimos; o nível mais baixo do ano até agora foi o nível de US$ 3.800 após a queda de 12 de março. É o mesmo nível em que uma rejeição acelerou a tendência de baixa que viu o Bitcoin cair para mínimos de US$ 3 mil, com o mercado em baixa de um ano caindo os preços em 2018.

Em maio, os touros do Bitcoin saltaram entre mínimos de US$ 8.100 e máximos de US$ 9.966, com um novo teste de baixa jogando um golpe de resistência ao suporte. Depois de ultrapassar US$ 9k, a criptomoeda subiu para uma alta mensal antes de um novo teste de suporte transformar níveis acima de US$ 9k e US$ 9,5k em duas das principais zonas de resistência.

Gráfico de preços do Bitcoin mostrando níveis imediatos de suporte e resistência / Fonte: Tradingview

 

Uma tendência de alta deve ver o Bitcoin superar obstáculos de US$ 9.750 e US$ 9.850 para atingir a cobiçada marca de US$ 10.000. Os touros, no entanto, precisam eliminar a resistência em US$ 9.600, com as rejeições nesse nível provavelmente confiando primeiro no suporte imediato em US$ 9.300. Os níveis atuais de preços são críticos, pois mantêm a alta de US$ 9.745 do último fim de semana à vista.

Atualmente o Bitcoin está sendo negociado dentro desse intervalo: então, uma fuga poderia subir mais, mas um recuo significa que níveis mais baixos de preços ainda estão em jogo.

De acordo com este gráfico de preços do Bitcoin, uma grande alta pode se materializar acima de US$ 10k, enviando o BTC/USD para altas de US$ 16k em 2020. Entretanto, se ocorrer uma queda sustentada nas próximas semanas, os preços poderão atingir níveis em torno de US$ 6k.

Os traders estão atentos a US$ 10.555 como um nível crítico que pode catalisar uma tendência de alta.

Fonte: Coin Journal

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.