JP Morgan: O declínio de 50% no custo de produção do Bitcoin pode prejudicar ainda mais seu preço

JP Morgan: O declínio de 50% no custo de produção do Bitcoin pode prejudicar ainda mais seu preço

O custo de produção do Bitcoin caiu de US$ 24.000 para US$ 13.000 em um mês, de acordo com estrategistas do JPMorgan.

Estrategistas do banco de investimento multinacional americano JP Morgan Chase & Co revelaram recentemente que o custo de produção do Bitcoin caiu quase 50% no último mês. As informações são do site CryptoPotato.

Custo de produção do BTC cai para US$ 13 mil

De acordo com uma nota publicada quarta-feira pelos estrategistas do banco liderados por Nikolaos Panigirtzoglou, o custo de produção do Bitcoin está atualmente em US$ 13.000, abaixo dos US$ 24.000 no início de junho de 2022. O relatório apontou que o declínio maciço pode prejudicar o preço do ativo digital.

Os estrategistas observaram ainda que a queda na estimativa de custo de produção é quase inteiramente devido a uma diminuição no uso de eletricidade, conforme dados do Cambridge Bitcoin Electricity Consumption Index.

O gigante bancário argumentou que a medida é um esforço dos mineradores para manter a lucratividade implantando plataformas de mineração mais eficientes, em vez de um êxodo em massa de mineradores menos eficientes. A mudança, no entanto, pode fornecer uma barreira significativa para quaisquer ganhos no preço do Bitcoin.

“Embora claramente ajude a lucratividade dos mineradores e potencialmente reduza as pressões sobre os mineradores para vender as participações em Bitcoin para aumentar a liquidez ou desalavancar, o declínio no custo de produção pode ser percebido como negativo para as perspectivas de preço do BTC daqui para frente. O custo de produção é percebido por alguns participantes do mercado como o limite inferior da faixa de preço do Bitcoin em um mercado em baixa”, escreveram os estrategistas.

Capitulação dos mineradores de Bitcoin

Desde que atingiu uma alta histórica (ATH) de cerca de US$ 69.000 em novembro de 2021, o Bitcoin e toda a indústria de criptomoedas enfrentaram muitos problemas, inaugurando um novo ciclo de baixa.

Alguns desses eventos negativos incluem as consequências de quedas de alto nível, como o colapso da Terra/LUNA, a insolvência da Three Arrows Capital (3AC) e notícias sobre o Federal Reserve aumentando as taxas de juros para combater a inflação.

Atualmente, o preço do BTC caiu cerca de 70% no acumulado do ano. No mês passado, o principal criptoativo foi negociado em torno da marca de US$ 20.000.

Com maior volatilidade, os mineradores de BTC entraram em uma onda de vendas durante o segundo trimestre de 2022. Pesquisas recentes revelaram que os mineradores venderam 100% de suas produções de maio no mês passado, à medida que a queda piorou.

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.