Desenvolvedores do Ethereum estão considerando a implementação de hard forks mais frequentes

O Ethereum poderá sofrer forks constantes, porém menores

Durante uma reunião realizada na última sexta-feira (12) os desenvolvedores do núcleo do Ethereum (ETH) revelaram a intenção de implementar hard forks menores e com maior frequência.

Aparentemente a questão do período de tempo entre os hard forks (ou atualizações) foi levantada pelo moderador da reunião, Tim Beiko, que a referenciou como um tópico contínuo de discussão. Em seguida outro desenvolvedor fez referência ao posicionamento expressado por Alexey Akhunov, que defendeu a ideia de diminuir o período entre forks.

Para ter uma ideia da opinião do resto da equipe, foi questionado se alguém estava “aberto a hard forks tão curtos quanto três meses.” As primeiras respostas foram negativas ou hesitantes, e um membro da equipe, Joseph Delong, chegou a dizer que este período era “muito rápido (…) para uma reviravolta”.

Martin Holst Swende, outro desenvolvedor, resumiu o sentimento geral dizendo:

“… contanto que não estejamos vinculados a grandes hard forks a cada três meses. Então, mais como janelas de oportunidades, quando as coisas estiverem finalizadas.”

Em seguida foi destacado que a equipe ainda deveria completar um hard fork dentro de 6 meses, ao que outro membro sugeriu que haviam algumas coisas que provavelmente deveriam ser automatizadas para que tudo pudesse prosseguir nos conformes.

Os desenvolvedores também citaram que o tópico foi anteriormente discutido no fórum Ethereum Magicians. Na discussão inicial da publicação, datada de 15 de março, Beiko pontuou os prós e contras de implementar hard forks menores e mais frequentes, observando que a equipe discutiu o tópico em uma reunião no mesmo dia.

Alguns dos argumentos a favor afirmam que a iniciativa traria frequentes atualizações ao protocolo e permitiria que a equipe separasse preocupações e isolasse melhor as mudanças, diminuindo ainda o tempo das atualizações que requerem múltiplos forks.

Argumentos para forks maiores e menos frequentes também foram apresentados, assim como o fato de que proporcionam um amplo período de tempo para a avaliação de segurança. Forks menos frequentes requerem atualizações de clientes e coordenação de usuários menos frequentes. Em casos de forks constantes, um bug em uma atualização poderia atrasar a próxima.

Recentemente foi noticiado que a base de usuários dos aplicativos descentralizados (dApps) da TRON apresenta o crescimento mais rápido do mercado, ao passo que a do Ethereum está diminuindo.

Na última semana, o cofundador do Ethereum e IOHK (companhia responsável pela Cardano), Charles Hoskinson, criticou a abordagem de desenvolvimento tanto do Ethereum quanto do EOS.

FONTE: COINTELEGRAPH

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli