Detentores de criptomoeda que ganham menos de US $ 50.000 estão deixando o trabalho

Os trabalhadores mal remunerados estão pedindo demissão, graças aos ganhos com as criptomoedas.

Uma pesquisa feita pela empresa de inteligência do consumidor CivicScience revela que trabalhadores com remuneração não muito vantajosa, estão deixando seus empregos como resultado de seus lucros criptomoedas.

Em abril, um número recorde de trabalhadores norte-americanos deixaram seus empregos. Essa tendência continuou nos meses subsequentes, levando ao que o Economist chama de “a Grande Renúncia”.

A pandemia mudou a forma como as pessoas pensam sobre a vida e o trabalho. Com base nas estatísticas, é justo dizer que os trabalhadores não estão mais dispostos a tolerar más condições de trabalho, sendo o problema mais fundamental o nível de remuneração em relação ao custo de vida. Em outras palavras, a falta de um salário digno pago pelos empregadores.

De acordo com a CivicScience, alguns investidores criptos, que se encontram nessas circunstâncias, têm liberdade de trabalho suficiente para pedir demissão. Ou seja, criptomoeda e a corrida de touros de 2021 são fatores prováveis ​​na aceleração da Grande Renúncia.

Cripto está criando riqueza e liberdade de trabalho

Desde 1º de janeiro, a capitalização do mercado cripto cresceu mais de 250%, para uma alta de US $ 2,76 trilhões no meio da semana. Com isso, vêm lucros saudáveis ​​para investidores de longa data.

Mas quando se trata de como essa riqueza recém-descoberta afeta a economia em geral, especificamente o mercado de trabalho, os dados da pesquisa da CivicScience mostram que o efeito é mínimo.

Suas descobertas revelam que 11% da população largou o emprego ou conhece alguém que largou o emprego como resultado de seu investimento em criptomoeda.

Você, ou alguém que você conhece, largou o emprego em algum momento no último ano devido à liberdade financeira conquistada com o investimento em criptomoeda?

Pesquisa 01
Fonte: civicscience.com

No entanto, esta questão da pesquisa não considera a adoção da criptomoeda como um todo, o que exageraria a descoberta de “Não, de forma alguma”, já que a maioria dos pesquisados ​​não possui nenhuma criptomoeda.

Pesquisa da TripleA, uma empresa de soluções de Blockchain de negócios, estima que a propriedade global da criptomoeda chega a 3,9% da população mundial, cerca de 300 milhões de pessoas. Essa porcentagem é semelhante aos 4% de pessoas que responderam: “Sim, eu tenho.”

Isso sugere que uma proporção maior de pessoas que possuíam criptomoeda e viram ganhos significativos em 2021 abandonaram seus empregos do que a pesquisa retrata.

Como isso se compara por faixas de renda?

Analisando as respostas acima em faixas de renda, é mostrado que 64% das pessoas que largaram seus empregos devido a ganhos das criptomoedas, têm salários mais baixos, ganhando US $ 50.000 ou menos.

Os que ganham mais, um total maior ou aproximado dos US $ 150.000, representam o menor grupo de pessoas que desistem, ficando com apenas 8%.

Você, ou alguém que você conhece, largou o emprego em algum momento no último ano devido à liberdade financeira conquistada com o investimento em criptomoeda?

Pesquisa02
Fonte: civicscience.com

Isso implica que os investimentos em criptomoedas podem ter proporcionado ganhos de mudança de vida para os mais pobres. Embora os detentores de melhores condições não considerem a criptomoeda uma “saída”. Em vez disso, eles vêem isso como uma estratégia de diversificação de ativos e que não é significativa o suficiente para fazê-los querer sair do emprego.

Fonte: CryptoSlate

Foto de Washington Leite
Foto de Washington Leite O autor:

Formado em Administração de Empresas, sou entusiasta da tecnologia e fascinado pelo mundo das criptomoedas, me aventuro no mundo do trade, sendo um eterno aluno. Bitcoin: The money of the future

WashingtonLeite_